sábado, outubro 08, 2005

Ponto e Contraponto

O SIM de FROSSARD

No início de 2003, quando tomava corpo o debate sobre o desarmamento, duas posições radicais e antagônicas estavam presentes. Uma defendia a pura, simples e integral proibição do comércio de armas, porque isso provocaria redução substancial da criminalidade, e a outra patrocinava o comércio completamente livre, sem amarras legais, porque andar armado seria um direito do cidadão sobre o qual o Estado não deveria intervir e, em defesa dessa sua tese, apontava-se um absurdo argumento da possibilidade de aumento da criminalidade no caso da proibição.

Chamada ao debate, em maio daquele ano (2003), preparei um artigo que ganhou o título "Os danos da proibição", no qual defendi a regulamentação do porte de armas e falei do risco de se proibir sua comercialização de maneira integral e completa. Elogiei a legislação que melhorava o controle e limitava o porte de armas de fogo e alertei a população para a necessidade de cobrar a adoção de medidas complementares, porque a simples proibição ou regulamentação, sem outras medidas, não produziria os reflexos esperados sobre os números da criminalidade.
Depois de apresentar dados do mercado clandestino de armas e falar das experiências da Lei Seca e da reserva de mercado de informática, que estimularam o mercado negro de bebidas e computadores, afirmei: "(...) é bom retirar do debate a idéia equivocada de que os que são contra a mera proibição estão no pólo oposto da argumentação, propondo 'às armas, cidadãos'. Não é assim. Acredito na eficiência da regulamentação e no controle rigoroso da fabricação, do porte e da importação de armas. Acredito na responsabilização direta e penal de todo aquele que, mesmo não portando armas, estimule o porte ilegal. Venho defendendo publicamente esses pontos de vista desde o começo dos anos 90. O caminho do controle foi tomado em fevereiro de 1997, com a edição da lei 9.437(...). Recentemente o Senado melhorou ainda mais a lei, aprovando um projeto que, entre outras medidas, torna o porte ilegal de armas um crime inafiançável. A proposta do Senado será submetida à Câmara, onde terá o meu apoio."Quem reler o artigo "Os danos da proibição", comparando-o com o Estatuto do Desarmamento, que nasceu sete meses depois, encontrará coincidências evidentes, porque, em maio, eu pedia a regulamentação e a limitação do porte de armas de fogo, o que aconteceu, em dezembro, com o Estatuto do Desarmamento.
O Estatuto do Desarmamento, o referendo, a lei 10.867, de 12 de maio de 2004, e o decreto 5.123, de 1 de julho do mesmo ano, surgiram na direção do bom senso que sempre defendi, um sentimento que percebi quando escrevi, no término do artigo "Os danos da proibição": "A proposta do Senado será submetida à Câmara, onde terá o meu apoio."
Sinto-me obrigada a retornar ao assunto, porque, na internet, claramente com o objetivo de confundir, numa atitude de baixa política e de leviano comportamento, circula o artigo publicado em maio de 2003, que está disponível em minha página na internet. Circula com um tom que não lhe dei e com um sentido que não tinha e não tem, para atribuir a mim, a partir do título, "Os danos da proibição", a preferência pelo "não", na resposta ao referendo. Com as mesmas intenções, um jornal do Rio de Janeiro, sem previamente me ouvir, resolveu, há poucos dias, republicar o artigo. Sei quem o fez, porque mandei apurar.
Perdem tempo com este jogo bobo, porque a minha opção pelo desarmamento é clara, indiscutível, e está demonstrada até pela minha decisão pessoal de nunca andar armada, mesmo tendo porte legal e passado por momentos na vida em que muitos aconselhavam o contrário.
De maneira definitiva: votarei "sim" no referendo, e com o meu voto estarei confirmando a minha opção pelos dispositivos do Estatuto do Desarmamento e das leis que limitam e regulamentam o porte de armas de fogo.
*Denise Frossard é deputada federal (PPS-RJ). (Publicado originalmente em O Globo, 7/9/05)
Enviado por Rui Alves Grillo

"Jenial"



"Quando a gente planta um pé de jabuticaba e rega todo dia, o que a gente espera? Que, quando der jabuticaba, a gente chupe".

Lula

Edilson Félix em ação

assessoria

Moradores reclamam do mau cheiro. Esgoto a céu aberto incomoda

Estufa I e II: Retratos do Abandono

Lixo, esgoto a céu aberto e má conservação das ruas irritam a população

Os bairros da Estufa I e Estufa II, que estão entre os mais populosos do município se encontram abandonados.
O esgoto corre a céu aberto, lixo e entulho estão por todos os cantos, sem contar no mato que toma conta das ruas e calçadas.
A população do bairro contatou o vereador Edilson Félix para reclamar da situação e solicitar que o mesmo intervisse para encaminhar as reivindicações do bairro.
"Tem gente que diz que eu gosto de ficar apontando problemas. Mas é necessário que se mostrem os problemas para que o Poder Público, o Executivo, aja. A população está cansada de discursos vazios: é hora de fazer acontecer", disse Edilson.
A preocupação dos moradores é com a situação de insalubridade do local, que pode gerar doenças graves, sobretudo nas crianças: "Não podemos permitir que nossa população fique exposta a condições sub humanas. Os impostos que a Prefeitura arrecada e as verbas que são transferidas do Estado tem que ser usadas em intervenções nestas comunidades", explica Edilson.
Defronte à Escola Aurelina Ferreira, há uma lixeira improvisada que deve ser retirada. No local, o Vereador Edílson quer que a Prefeitura instale um container para a coleta de entulho. Na Rua América, os moradores apontam as "valas negras" que precisam ser tratadas, com o provimento de tubulões para encaná-las e encaminhar as mesmas para a estação de tratamento da SABESP.
Na Rua Bonsucesso, um lixão está se formando, pois a população vai jogando entulho e depois acaba atirando também dejetos orgânicos. Para Edilson Félix, "o Executivo tem que agir rápido. Toda a população deu um voto de confiança ao atual prefeito. Só que agora é hora de fazer as coisas acontecerem. E não só em obras para a temporada, mas para toda a comunidade", completou.
Fonte: Assessoria de Gabinete do Vereador Edílson Félix

Santa Casa

Hospitais filantrópicos paralisam atendimento eletivo no próximo dia 18

Laura Valesi Ennes
No próximo dia 18, terça-feira, aderindo ao Movimento Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, a Santa Casa de Ubatuba estará paralisando as atividades assistenciais eletivas, ou seja, o atendimento de cirurgias e consultas programadas, por 24 horas.
Este Movimento, a nível Nacional, foi proposto pela Federação e pela Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas, com o objetivo de sensibilizar o Governo Federal da importância do reajuste da tabela SUS – Sistema Único de Saúde.
De acordo com a Confederação das Santas Casas, há 11 anos o segmento hospitalar privado filantrópico vem sofrendo um grande déficit no convênio estabelecido com o SUS. Desde o Plano Real, Julho de 2004, até agosto deste ano, a tabela SUS foi reajustada em 37,30%, enquanto a inflação dos hospitais, nesse mesmo período, subiu 366,60%.
O próprio Ministério da Saúde, segundo a Confederação, reconhece a defasagem de, no mínimo, 110%. Para cada R$ 100,00 de custos na assistência de um paciente do SUS, o hospital recebe, em média R$ 55,00.
O Movimento também espera conseguir a garantia de recursos no orçamento de 2006 que possibilite o início da adequação das tabelas, no mínimo em 40% em média.
Vale ressaltar que a paralisação não afetará os atendimentos de urgência e emergência, que estarão sendo realizados normalmente, tanto na Santa Casa local como em todos os hospitais filantrópicos do país.

Azul Marinho

12 de Outubro: um dia inteiro de festa na Praia da Caçandoca

É a IV Festa do Azul Marinho

A festa começa com a Missa Afro, na Capela Nossa Senhora Aparecida, na Praia da Caçandoca, região Sul de Ubatuba, às 9 horas da manhã. Vai ter muita brincadeira, Oficina de Capoeira, Exposições de artesanatos e muita música. Isso tudo, sem contar com o delicioso almoço e, como não poderia deixar de ser, o cardápio será o tradicional Azul Marinho.
É imperdível e todos estão convidados.

Fonte: ASCOM

Agenda 21

PROJETO AGENDA 21 DO LITORAL NORTE RECEBE VERBA DO MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

Rui Alves Grilo - GT de Comunicação e Mobilização
Dia 05 de outubro, no Paço Municipal de Ilhabela, ocorreu mais um Fórum da Agenda 21 do Litoral Norte. Foi um dia de festa para o Litoral Norte pois finalmente saiu a primeira parcela do financiamento para o Projeto da Agenda 21 do Litoral Norte. A notícia foi dada por Fernando Crésio, funcionário da Prefeitura Municipal de Ilhabela e responsável pela contabilidade do projeto.
Nessa ocasião, o Prefeito de Ilhabela, ressaltou o seu compromisso com a continuidade do projeto e a satisfação de receber os participantes das quatro cidades, que, voluntariamente, têm levado a frente a elaboração e o desenvolvimento do projeto, que é um importante instrumento para o planejamento e o desenvolvimento da região, trazendo como conseqüência, uma melhor qualidade de vida para todos.
O projeto concorreu com muitos outros de todas as regiões do Brasil e, além de ser um dos poucos aprovados, devido ao seu alto grau de elaboração e de clareza de propostas, está servindo de referência para outros projetos de toda a orla marítima do Brasil.
Foi considerado um dos projetos prioritários de Agenda 21 Local.
A Agenda 21 tem como meta uma melhor qualidade de vida para todos através de um desenvolvimento que seja sustentável, isto é, que não contribua para a degradação da Terra e de seus recursos. A formulação dos princípios e metas da Agenda 21 Global é um dos resultados da Eco-92, ocorrida no Rio de Janeiro, reunião da qual participaram representantes de mais de 179 países. A partir da Agenda 21 Global, vão-se elaborando as agendas nacionais, estaduais e municipais, definindo , cada vez mais, os problemas e soluções mais próximos, mas que têm conseqüências imediatas e a longo prazo, para o espaço imediato e para toda a Terra.
Embora o valor (cem mil reais) seja pequeno para o tamanho da tarefa, pois envolve a mobilização de toda a população do Litoral Norte e uma pesquisa que abrange 10% dessa população, é um grande trunfo para todos nós porque representa o esforço coletivo da sociedade civil e das administrações públicas da região. Também, garante a infra-estrutura básica e necessária para “por o bloco na rua”. É importante salientar que várias etapas do processo já foram realizadas com recursos da própria região, seja com a participação de voluntários, ou de ongs e do poder público local..
Uma outra etapa importante do projeto deverá acontecer no dia 1º de novembro, quando, em um ato solene, a ser realizado em São Sebastião, os quatro prefeitos da região deverão reafirmar o seu compromisso com o projeto. Como se sabe, já houve a assinatura de um protocolo, mas como houve a troca dos prefeitos, é necessário e importante o apoio e engajamento no processo pois ele representa muita economia para as prefeituras porque o trabalho vem sendo feito de maneira voluntária. Os resultados do processo muito contribuirão para um melhor relacionamento entre os poderes públicos da região e a população.

Fonte: ASCOM

Notícias da Prefeitura

paulo zumbi

A I Caiçarada de Ubatuba reunirá grupos folclóricos de diversas cidades

I Caiçarada começa esta semana em Ubatuba

Aproveitando o feriado de 12 de outubro, a Fundart (Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba) em parceria com a Secretaria de Turismo e Secretaria de Educação, iniciará uma grande festa em comemoração ao aniversário da cidade e em homenagem à cultura regional. A I Caiçarada de Ubatuba reunirá grupos folclóricos de diversas cidades do Brasil, que trarão suas danças, suas histórias e músicas. Moçambique, Congada, Bumba Meu Boi, Danças Gaúchas e Dança de Roda são algumas das atrações do evento, que acontecerá na Praça de Eventos, ao lado do Aeroporto. A cultura caiçara será reverenciada com manifestações do tipo: Dança da Xiba, Boi de Conchas, Ciranda de Roda, Dança da Fita, entre outras. Além disso, haverá restaurante de comidas típicas caiçaras, barracas de doces e salgados e ranchos que mostrarão um pouco da vida à beira-mar. O visitante poderá apreciar caiçaras esculpindo canoas e rabecas, tecendo redes, vendendo a típica farinha de mandioca e o artesanato local com suas influências. Na quarta feira, dia 12, a festividade começa com um cortejo de canoas, que sairá da Barra Seca, com destino à Praia do Cruzeiro. A I Caiçarada termina no domingo, dia 16. Serão cinco dias de muita alegria, cores, danças e culturas. Vale a pena conferir! PMU

Programe-se e prestigie a Caiçarada!

Dia 12/10 – QUARTA FEIRA
18h - Cortejo de canoas para o translado do Fogo da Esperança. Saída da Praia da Barra Seca e chegada à Praia do Cruzeiro.
18h30 – Hasteamento de Bandeira e execução do Hino Nacional com entrega da chave da cidade ao Patrono do evento (caiçara idoso).


19h – APRESENTAÇÕES NO PALCO
1- Fandango Caiçara do Promirim – Danças do Xiba e Ciranda de Roda
2- Grupo Itapoá – Danças dos Chapéus e Tontinha
3- Moçambique (São Luiz do Paraitinga)
4- Grupo Guaruçá – Auto Boi de Conchas

Dia 13/10 – QUINTA FEIRA

19h – APRESENTAÇÕES NO PALCO
1- Congada de Bastões do Poruba – Dança de Congada

2- Grupo Itapoá – Dança das Fitas
3- Grupo GODAP (Olímpia – SP) Danças Gaúchas e Centro Oeste

Dia 14/10 – SEXTA FEIRA

19h – APRESENTAÇÕES NO PALCO
1- Grupo de Congada (São Bernardo do Campo – SP)
2- Grupo Cultural “Cheiro de Mate” (Capão Bonito – SP) Danças Gaúchas
3- Terno de Congo Azul (Uberlândia – MG)
4- Grupo GODAP (Olímpia – SP) – Danças Nordestinas

Dia 15/10 – SÁBADO

19h – APRESENTAÇÕES NO PALCO
1- Grupo de Congada (São Bernardo do Campo – SP)

2- Reisado Sergipano (Guarujá – SP) - Bumba meu Boi Bumbá
3- Congada Chapéu de Fitas (Olímpia – SP)
4- Grupo Samba de Lenço (Mauá – SP) - Samba Rural
5- Terno de Congo Azul (Uberlândia – MG)
6- Grupo Cultural Cheiro de Mate (Capão Bonito – SP)

Dia 16/10 – DOMINGO

10h – Corrida de Canoas e Rodas de Capoeira – Frente à Praça de skate

13h – APRESENTAÇÕES NO PALCO
1- Grupos de Folias de Reis

2- Moçambique Rosa (Atibaia – SP)
3- Moçambique do Belém (Taubaté – SP)
4- Grupo Samba Lenço (Mauá – SP)

19h – APRESENTAÇÕES NO PALCO
1- Grupo Guaruçá – Estórias Caiçaras

2- Grupo Boi Chorão
3- Grupo Itapoá – Quadrilha Caiçara
4- Fandango Caiçara do Promirim – Dança do Xiba e Ciranda de Roda



Associação dos Deficientes de Ubatuba lança o Show de Natal 2005

Após o sucesso do Show da Primavera, a Associação dos Deficientes de Ubatuba (ADUBA), promoverá o Show de Natal 2005.O evento, que visa arrecadar verbas para a entidade, acontecerá no dia 11 de dezembro, na praça BIP, a partir das 15 horas. Além de diversas atrações os presentes poderão concorrer a diversos prêmios. Mais informações poderão ser obtidas através do telefone 3833-0519. PMU



Campanha Nacional de Recadastramento para pescadores

Ação ocorrerá em Ubatuba no mês de novembro

A Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, órgão integrante da Presidência da República (SEAP/PR), está realizando a Campanha Nacional de Recadastramento do novo Registro Geral da Pesca. Em Ubatuba a Campanha estará ocorrendo nos dias 10, 11, 14, 16 e 18 de novembro, na Cantina da Prefeitura de Ubatuba, em horário comercial.
Em todo o País há milhares de trabalhadores vivendo na informalidade sendo que um dos objetivos do recadastramento previsto no novo Registro Geral da Pesca é incluir essas pessoas, garantindo-lhes o reconhecimento e assim ter acesso aos programas sociais do Governo Federal, como microcrédito, assistência social e o seguro-defeso, que é pago nos meses em que a pesca profissional é proibida, sendo por tanto um instrumento muito importante para a elaboração das políticas e para a gestão da pesca profissional.
O cadastramento, no caso de quem nunca se cadastrou, ou o recadastramento, de quem já é cadastrado, resultará na emissão, pela SEAP/PR de uma nova carteira de pescador profissional em papel da Casa da Moeda.
Para o novo cadastro no Registro Geral da Pesca para a emissão da carteira, serão feitos cruzamentos de dados com os registros do Ministério do Trabalho e da Previdência Social para comprovar a situação do pescador e a apresentação do mapa anual de produção pesqueira, após um ano de atividade de pesca profissional que vai comprovar realmente se exerceu a pesca profissional durante o período.Mais informações na Secretaria Municipal de Agricultura Pesca e Abastecimento, pelos telefones (12) 3833-3500 e 3833-2528. PMU



Secretaria de Assistência Social de Ubatuba dá continuidade a cursos de geração de renda

Agora as aulas acontecem também nos bairros

A Secretaria de Assistência Social de Ubatuba, dando prosseguimento à serie de cursos do programa de geração de renda, divulgou hoje os cursos que acontecerão durante o mês de outubro.
Agora os moradores do Ipiranguinha, Folha Seca, Almada, Maranduba, Sertão da Quina e Núcleo Anchieta recebem os cursos em seus bairros, proporcionando mais economia. A Secretaria pretende, em breve, aumentar o número de bairros atendidos pelo programa.No primeiro semestre mais de 180 pessoas passaram por esses cursos de alimentos e artesanato, podendo assim aprender uma nova maneira de obtenção de recursos financeiros.Nos bairros os cursos acontecem em espaços cedidos pela comunidade. No centro as aulas são ministradas no prédio da Secretaria de Assistência Social (S.A.S.), na rua Paraná 375, no centro.
Mais informações podem ser obtidas através do telefone 3832-6038.
10/10 – 14h Alimentos (Biscoitos - Rosquinhas) - Sertão da Quina

11/10 – 14h Alimentos (Biomassa de Banana) - S.A.S. - 14h Crochê - Almada
13/10 – 14h Artesanato – S.A.S. - 16h30 Alimentos (Panificação) – Anchieta
14/10 – 14h Alimentos (Biscoitos - Beliskão) – S.A.S. - 14h Crochê – Fazenda da Caixa
15/10 – 14h Alimentos – Folha Seca - 14h Crochê e Bordado – Ipiranguinha
17/10 – 14h Alimentos (Derivados de soja) - Sertão da Quina
18/10 – 14 h Alimentos (Tapioca) - S.A.S. - 14h Crochê - Almada
19/10 – 14h Alimentos (Biscoitos de Polvilho) – Maranduba

20/10 – 14h Artesanato – S.A.S. - 16h30 Alimentos (Macarrão) – Anchieta
21/10 – 14h Alimentos (Biscoitos - Sequilhos) – S.A.S. - 14h Crochê – Fazenda da Caixa
22/10 – 14h Alimentos – Folha Seca - 14h Crochê e Bordado – Ipiranguinha
24/10 – 14h Alimentos (Balas de coco) - Sertão da Quina
25/10 – 14 h Alimentos (Tapioca) - S.A.S. - 14h Crochê - Almada
26/10 – 14h Alimentos (Biscoitos - Rosquinhas) – Maranduba
27/10 – 14h Artesanato – S.A.S. - 16h30 Alimentos (Biscoitos de Polvilho) – Anchieta
29/10 – 14h Alimentos – Folha Seca - 14h Crochê e Bordado – Ipiranguinha PMU

sexta-feira, outubro 07, 2005

PT versus PT

A revista Carta Capital fez doze perguntas aos candidatos à presidência do PT, Raul Pont e Ricardo Berzoini. Leia o que eles propõem para o partido.

Raul Pont
Ricardo Berzoini

Editorial

I have gun... will travel!*

Uma campanha publicitária dos anos da década de 1970 não me sai da cabeça. “Não faça do seu carro uma arma; a vítima pode ser você”. Deve ser o bombardeio sobre o referendo. Tantos argumentos pró e contra, longe de esclarecer aumentam a dúvida. O questionamento refere-se às armas compradas em lojas, com nota fiscal, garantia e impostos. Contrabando não entra na discussão, é de se supor que não haverá tal prática. O governo vai cuidar disso. Com a quase certeza da futura proibição, fico feliz ao saber que se um pau-de-fogo me for apontado, terei o direito de perguntar:
- Essa arma é legal? Tem nota fiscal? Foi comprada antes do referendo?
No caso de resposta negativa ou de não resposta, poderei continuar:
- Saiba que portar armas é crime e poderá resultar em processo.
Certamente os argumentos terão eficácia e o malfeitor irá embora desapontado.
A aprovação do referendo terá uma grande repercussão internacional, podendo redundar em indicação para o Premio Nobel. De qualquer forma é um passo na direção de uma sociedade menos violenta. Também seria bom promulgar a “Lei-Seca”, nos moldes do que fizeram os americanos em 1920. Melhorar o ensino não seria de todo mau, acabar com as desigualdades provenientes de uma indecente distribuição de renda ajudaria. Mas de qualquer forma é um começo. Já os dez milhões de empregos... Melhor deixar pra lá.
* Texto do cartão de visita do "Paladino do Oeste"

Sidney Borges

Notícias da Prefeitura

ricardo pimentel

Luciana Machado, Eduardo César, Isabel Roseli e Claudinho Gulli

Prefeitura e Câmara de Ubatuba buscam recursos para Educação junto ao Governo do Estado

O prefeito de Ubatuba Eduardo César, acompanahado da secretária municipal de Educação, Isabel Roseli Leite e dos vereadores Luciana Machado e Claudinho Gulli estiveram em São Paulo nesta quinta-feira, 6, participando da assinatura do convênio com a Secretaria de Estado da Educação para o Programa de Ação Cooperativa Estado - Município para Construções Escolares (PAC). O governador Geraldo Alckmin anunciou, na ocasião um investimento de R$ 98 milhões que beneficia 26.400 alunos em todo o Estado.Os convênios referem-se as obras novas, ampliações e reformas de escolas. Também foram firmadas parcerias para a implantação do Letra e Vida - Programa de Formação de Professores Alfabetizadores. “Estamos fazendo um grande esforço na área da Educação, que é a base da sociedade”, disse o Governador Geraldo Alckmin. O prefeito de Ubatuba acredita que essa parceria garantirá um aumento importante no número de alunos atendidos em Ubatuba.

Convênios

O Programa Ação Cooperativa (PAC) contribuirá para a expansão e melhoria do ensino, dando às crianças condições reais de acesso à escola, e garantindo a permanência e a progressão dos alunos. Do ponto de vista estrutural, o PAC visa executar a construção, ampliação, reformas ou adequações de prédios escolares nos municípios conveniados, em escolas municipais e estaduais.Já o Letra e Vida é um programa de Formação de Professores Alfabetizadores, destinado a professores que ensinam a ler e escrever no Ensino Fundamental, envolvendo crianças, jovens ou adultos. Está aberto também a outros profissionais da educação que pretendem aprofundar seus conhecimentos sobre o ensino da leitura e da escrita. PMU



Sábado é dia de música boa na Fundart

Os apreciadores da boa música terão o privilégio de assistir a uma bela apresentação nesse final de semana em Ubatuba. Trata-se de um show em duo, apresentado pelo pianista Diego Nogueira e o guitarrista Sandro Nogueira, ambos compositores. O evento tem duração de uma hora e meia e o repertório traz em si clássicos da Bossa Nova e do Jazz e composições próprias. O duo tem como objetivo valorizar a música instrumental, inovando as interpretações e composições e contribuindo para o desenvolvimento da cultura brasileira. O evento é uma realização da Fundart, com apoio cultural do Empório Pau-a-Pique, de Itajubá (MG). A apresentação acontecerá sábado, dia 08, no Salão de Eventos da Fundart, no antigo casarão do Porto, com entrada franca, a partir das 20 horas O Casarão do Porto fica na Praça Anchieta, nº 38, no centro de Ubatuba.

As Formações

Diego Nogueira, é pianista autodidata, nascido em São Paulo em 1982. Desde 2000 dedica-se a produção de música instrumental, se apresentando como pianista solo, em duo e trio. Durante este período tem participado de diversos festivais, como o Festival de Boa Esperança, entre outros. Em 2002 foi professor de piano do conservatório de Pouso Alegre. Atualmente trabalha na finalização de seu disco de piano solo, na pré-produção de seu disco em trio e com seu grupo.Todos os trabalhos são integrados por músicos importantes no cenário da música instrumental brasileira. Em 2004 o duo tocou ao lado de Toninho Horta em Pouso Alegre.Sandro Nogueira é guitarrista, nascido em São Paulo em 1978. Formado pelo Conservatório de Música de Pouso Alegre, na categoria popular e erudito. Em 2002 iniciou seus estudos universitários em São Paulo, o que possibilitou sua contratação pelo Conservatório de Varginha como professor de guitarra, onde desenvolveu importantes trabalhos musicais, como workshops e apresentações além das aulas. Também foi coordenador do departamento de música eletroacústica do Conservatório de Varginha. Em 2005 foi convidado a trabalhar como professor de música no Instituto Nacional de Tecnologia de Santa Rita do Sapucaí (Inatel, que recebeu o prêmio de melhor educação do Brasil). Desenvolveu um trabalho em duo com o pianista Diego Nogueira. Atualmente trabalha na pré-produção de seu disco em trio, que será integrado pelo baterista Nenê, e pelo baixista Rogério Botter Maio. PMU



Abertas as inscrições para o Concurso Literário de Ubatuba

Os escritores e amantes da arte chamada literatura, já podem fazer suas inscrições para participar do clássico Concurso Literário que acontece todos os anos em Ubatuba. Esse concurso, promovido pela Fundart (Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba), por meio do Grupo Setorial de Literatura conta com três modalidades: poesias, com o XIX Prêmio Idalina Graça; contos, com o XIII Prêmio Washington de Oliveira e textos teatrais, com o V Prêmio Tia Helô. Outro concurso, que também acontece esse mês, faz parte das festividades da “Caiçarada”, com contos e poesias temáticas, referentes à cultura caiçara.As inscrições vão até o dia 24 de outubro e serão premiados os três primeiros colocados de cada modalidade. Cada escritor poderá inscrever até três obras de cada modalidade. Segundo o regulamento do concurso, as obras deverão ser enviadas em três vias cada uma, assinadas com pseudônimo, lacradas em dois envelopes. O envelope de fora deverá trazer apenas a modalidade e a categoria, que pode ser: infantil, até 12 anos; juvenil, até 18 anos e adultos, acima de 18 anos. No interior desse envelope vem a ficha de inscrição e o envelope lacrado com as obras.
Os três primeiros colocados receberão os respectivos troféus correspondentes às modalidades em que concorreram. Haverá também uma eliminatória, para escolher as poesias que serão publicadas no livro e todos os participantes receberão certificados. O coordenador do grupo setorial de literatura, Luiz Roberto Moura diz que esse concurso pode representar uma chance única para que muitos artistas de nossa cidade sejam reconhecidos. “Muitas vezes, a pessoa escreve e não tem como publicar. O Concurso Literário de Ubatuba tem essa função de descobrir talentos e incentivá-los a se desenvolver, através da publicação de suas obras”.
A ficha de inscrição pode ser retirada na sede da Fundart, que fica na Praça Anchieta, nº 38, no centro. Para mais informações, ligue para: 3833-7000 ou 3833-7001. PMU



Posse do Conselho Municipal para Assuntos da Pessoa Portadora de Deficiência

Cerimônia acontece hoje à noite em Ubatuba

Acontece nesta sexta-feira, 7, às 20 horas, no auditório da Escola Municipal Tancredo de Almeida Neves, a posse dos membros do Conselho Municipal para Assuntos da Pessoa Portadora de Deficiência em Ubatuba.
O conselho, formado por 15 representantes sendo oito do poder público e setede entidades não governamentais tem como objetivo estimular a inclusão social dos portadores de deficiência no município.
As ONG’s participantes do Conselho são: Apae, Aduba, Projeto Tamar, Ordem de Advogados e as Associações dos Bairros do Araribá, Ipiranguinha e Poruba. O Poder Público será representado por membros da Câmara Municipal e das Secretarias de Assistência Social, Educação, Saúde, Esportes e Lazer, Obras, Fazenda e Planejamento. PMU



Vôlei de Ubatuba encara Mogi e Taubaté neste final de semana

No domingo as partidas acontecem no Tubão

As equipes de vôlei mirim, masculino e feminino e juvenil masculino, enfrentarão neste sábado, 8, as equipes de Mogi das Cruzes, no Ginásio Municipal de Mogi.
Ás 13h joga o mirim feminino, na sequência o masculino e o juvenil fecha a rodada.No domingo, 9, as equipes mirins jogam no Ginásio de Esporte Tubão, em Ubatuba, contra as equipes de Taubaté. O primeiro jogo, da equipe masculina, acontece às 14h30; depois é a vez das meninas. A equipe de vôlei mirim masculino de Ubatuba tem o patrocínio de Kall Som, Assai Distribuidora de Água, Cristal Turismo. As meninas jogam com o apoio de Biodance, Nipak Honda, Auto Elétrica e Mecânica Marquinhos, enquanto o juvenil disputa o torneio com o patrocínio de Djalma Auto Peças. PMU

quinta-feira, outubro 06, 2005

Observar Ubatuba

Carlos Rizzo
Observar é uma palavra interessante e se vocês me permitem usarei da prerrogativa do meu nome (Rizzo= raiz). Observar tanto pode significar obedecer, cumprir ou praticar algo determinado; censurar de leve ou ainda, estudar, examinar com atenção, pesquisar.
Observar Ubatuba é uma arte que aos poucos vamos descobrindo. Nossas praias são, inevitavelmente, as primeiras observações a nos saltar aos olhos. A pureza do ar que temos o privilégio de respirar, a pureza das águas dos nossos rios afastados e por fim, a exuberância da natureza com seus pássaros invadindo a cidade.
No ano passado, atendendo a solicitação do Museu Caiçara encabeçado pelo Julinho Mendes, foi aprovada uma lei elegendo o tangará-dançador como pássaro símbolo de Ubatuba e criando o dia municipal de observação de pássaros. Este é o primeiro 4 de outubro que devemos festejar.
A avifauna de Ubatuba passou a ser considerada a partir da década de 70 quando o ornitólogo Edwin Willis começou a estudar as nossas espécies e encontrou a Cymbilaimus sanctaemariae, uma choquinha que vive principalmente nos bambuzais. A notícia correu o mundo e atraiu a atenção de todos os observadores. Com os anos fomos somando as espécies e visitantes ilustres. Se antes a fazenda Capricórnio era o único receptivo de observadores em Ubatuba, hoje temos inúmeros pontos espalhados pela cidade e inúmeras pessoas envolvidas com a observação dos nossos pássaros.
Se antes somávamos visitas ilustres, hoje somamos crianças e cidadãos comuns defendendo nossas aves. É uma emoção indescritível quando uma criança traz um pássaro ferido na certeza de que vamos salvá-lo, é uma alegria sem medida quando os amigos mandam uma foto como a que ilustra este artigo. Nesta, a euforia foi tanta que, apressado, até errei na primeira identificação.


Impossível evitar a admiração.

Sempre digo que não sou o melhor observador de pássaros de Ubatuba, mas com certeza sou o mais barulhento. Nestes anos somamos conquistas importantes, a despeito dos desinteressados que não vêem lucro imediato na atividade. Juntamos parceiros como Eduardo César, que é o primeiro prefeito a incluir o desenvolvimento da atividade de observação de pássaros nas suas diretrizes de governo.
Esta singela comemoração do primeiro 4 de outubro que festejamos jamais será esquecida. No futuro os que hoje se omitem estarão esquecidos, nós outros seremos lembrados pela visão de amor e dedicação às melhores coisas de Ubatuba. Observar é, sem dúvida, uma palavra interessante, exige paciência, mas, é interessante.

Foto: Dimitri Matoszko - Surucuá-da-barriga-dourada, Trogon viridis, White-tailed trogon, observado no Eco-Resort Itamambuca.

Nota do Editor: Carlos Augusto Rizzo mora em Ubatuba desde 1980, sendo marceneiro e escritor. Como escritor, publicou "Vocabulário Tupi-guarani", "O Falar Caiçara" em parceria com João Barreto e "Checklist to Birdwatching". Montou uma pequena editora que vem publicando suas obras e as de outros autores.
Fonte: O Guaruçá

Editorial

Ilusão, dela também se vive...

Ontem o Ubatuba Víbora saiu do ar. É a segunda vez na mesma semana. Na verdade, quem saiu do ar foi o provedor, como conseqüência os blogs lá hospedados não puderam ser acessados. Uma curiosidade para os leitores. Acessem o Google e procurem o site do TSE. Em seguida pesquisem processos envolvendo as “figuras carimbadas” da cidade. Todos sabem de quem estou falando, não cabe citar nomes. É só preencher os campos indicados e pasmar. Há alguns na marca do pênalti, além daquele que está com os direitos suspensos. O que eu não tinha idéia é que há outro, em grande evidência, com possibilidades remotíssimas de salvar a pele. Dá para entender as manobras para tomar conta de partidos. Na verdade uma espécie de “pensamento de desejo”. As movimentações dão a ilusão de sobrevida. O que os caciques querem? Tudo indica que a intenção é continuar fazendo o que sempre fizeram. De que forma? Costurando alianças para ocupar secretarias estratégicas na administração futura do candidato por eles apoiado. Só falta combinar com os eleitores, que eles imaginam usar bolinhas vermelhas no nariz. Os políticos de Ubatuba são na verdade grandes administradores. Com os parcos salários da vida pública constroem patrimônios invejáveis. Comparáveis aos de industriais e comerciantes de porte. Para os caciques da província a presunção é que nada é impossível, desde que haja dinheiro para pagar bons e caríssimos advogados. Será que algum coronel local tem mais dinheiro do que o ex-prefeito de São Paulo, Paulo Salim Maluf? A Justiça tarda, mas não falha. Não adianta falar, entrem no TSE e vocês saberão, como eu soube, como andam as coisas. Nada boas para alguns. Para os advogados locais, sugiro estudar o capítulo “improbidade administrativa”. Há uma bomba prestes a explodir.

Sidney Borges

Uma trombada no Trombini

arquivo ubaweb

Um bom espaço para algum vereador "inventar" outra feirinha hippie

Luiz Moura
O "De olho em Ubatuba" não foi criado para elogios, mas sim para o apontamento de problemas que afetam o cotidiano do povo ubatubense. A ação conjunta dos vereadores, encabeçados por Gerson de Oliveira, e administração municipal iniciando processo de retirada do parque Trombini da orla da praia de Iperoig (Cruzeiro) faz com que eu abra uma exceção.A urbanização da orla da praia possibilitando à população sua utilização para esportes, cultura e lazer é, de longa data, aspiração dos moradores da região central do município.A construção de uma quadra polivalente próxima ao canal da rua Liberdade para criação de área própria à prática de esportes e para que as tabelas colocadas indevidamente na praça Capricórnio sejam retiradas é, seguramente, uma ação de resgate. As quadras esportivas que existiam no local hoje ocupado pela "Feirinha Hippie", de uso do extinto Itaguá Praia Clube, eram locais concorridos. Está aí uma grande oportunidade para a administração Eduardo César.O cancelamento do aforamento da área ocupada pelo parque Trombini, junto ao SPU - Serviço de Patrimônio da União, acabará com as restrições que pesam sobre o projeto de urbanização da orla da praia de Iperoig.

PTB de Ubatuba

ptb

Membros do diretório do PTB de Ubatuba com o Presidente eleito TATO

O PTB DE UBATUBA SAI NA FRENTE E REALIZA SUA CONVENÇÃO

Ubatuba foi a primeira cidade do Vale do Paraíba a definir o diretório municipal do PTB, mesmo com chapa única e com muita chuva, compareceram 136 filiados para votarem, batendo assim o recorde de votantes em convenção do PTB em Ubatuba. Prestigiaram a convenção, além dos filiados, autoridades e representantes políticos de outros partidos. Em entrevista à rádio local, o novo Presidente do PTB, o Sr. ANDERSON JOSÉ RODRIGUES, o TATO, informou que ficou muito satisfeito com a convenção e otimista quanto ao rumo que o partido deverá tomar daqui para frente. “Tive a iniciativa de compor opartido com muitos comerciantes que sentem na pele o descaso das nossas autoridades, que por falta de conhecimento prático de administração, levaram nossa Ubatuba ao caos deixando assim a humilhação e a pobreza para o povo da nossa cidade”, deixou claro também que há grande possibilidade de o PTB de Ubatuba ter candidato próprio para as Eleições de 2008, com perspectiva de ser um COMERCIANTE, vale dizer, pessoa com agilidade para contornar as constantes crises sociais e financeiras, mesmo por que antes das Eleições será escolhido de forma democrática pelo diretório e filiados do PTB. O novo presidente disse que quer apenas DIAS MELHORES para Ubatuba e para opartido.Tato agradece a todos os filiados, amigos, autoridades, que prestigiaram a convenção.
Fonte: Assessoria de Imprensa do PTB de Ubatuba

Notícias da Prefeitura

Fundart realiza exposição de artesanato no jardim

Café da tarde num jardim de inverno. Esse é o cenário em que o Grupo Setorial de Artesanato da Fundart iniciará uma nova exposição em Ubatuba. A abertura acontece no próximo sábado, dia 8 e ficará na Floricultura Naturali Garden Center até o dia 23 de dezembro. A exposição traz as influências das culturas européias, africanas e caiçaras no artesanato atual, com peças de entalhe em madeira, cestaria, cerâmica, bijouterias com sementes e outros materiais. Esse evento está sendo realizado através de uma parceria entre a Fundart, pelo grupo setorial de artesanato e a iniciativa privada. A coordenadora do grupo, Helena Otoni, explica que "oportunidades como essa só são possíveis com a união e organização na classe. Além do grupo, estamos montando uma associação que tem como objetivo unir todos os artesãos da cidade”. Segundo ela, atualmente há mais de 300 artesãos em Ubatuba. Os trabalho dos artesãos poderá ser apreciado também durante a “I Caiçarada”, que acontecerá a partir do próximo dia 12. Nesse evento, as peças expostas serão de influência tipicamente caiçara, “desde o passado até agora”, como explica Dona Helena. Além disso, o grupo está com uma exposição fixa na sede da Fundart, que fica na Praça Anchieta. A Floricultura Naturali Garden Center fica na Rua Robilard Marigni, 709, B. Itaguá e a Festa Caiçarada acontecerá na Praça de Eventos, ao lado do Aeroporto de Ubatuba. PMU



Ipiranguinha prestigia novidades do “Prefeitura no Bairro”

Muitas novidades, novas parcerias e o enfoque na cidadania marcaram a 5ª edição do “Prefeitura no Bairro”, no Ipiranguinha, durante o final de semana, dias 1 e 2.
O evento aconteceu na “Escola Municipal Governador Mário Covas”, que esteve lotada durante toda a manhã chuvosa do domingo. Um dos destaques dessa edição foi a realização do projeto “Respeito e Cidadania: É Brincando que se Aprende”. Esse trabalho é resultado de uma parceria entre a Guarda Municipal e o Serviço Municipal de Trânsito, e alunas do 1º ano de Pedagogia da Unitau.Com a orientação de 15 alunas de Pedagogia, que trabalharam voluntariamente no evento, as crianças produziram placas de trânsito, carrinhos, jogos da memória, fizeram atividades de pintura e desenho. O resultado do trabalho das crianças, ou seja, as placas, carrinhos e jogos puderam ser levados para a casa. Além disso, quem participou da atividade completa, ganhou carteira de habilitação e talãozinho para “multar” os pais que cometem infrações, como estacionar na calçada ou falar no celular ao dirigir. A coordenadora do projeto, que é estudante de Pedagogia, Bruna Rocha, explica que a atividade visa desenvolver o saber de forma criativa. “De forma lúdica, as crianças vão aprendendo regras e maneiras de educar os pais no trânsito”. Outras questões que envolvem cidadania também foram trabalhadas na oficina. Todos os materiais utilizados para a confecção das placas e carrinhos são recicláveis. “Não são necessários materiais caros para se obter bons resultados”, avalia Bruna. Para as próximas edições, um trabalho prévio será desenvolvido com as crianças em sala de aula, envolvendo palestras e oficinas, com materiais que os alunos trarão de casa.A realização do projeto surgiu de uma solicitação do prefeito Eduardo César, que considera importante trabalhar esses conceitos com as crianças. O guarda municipal, Waldir Salomão de Prado, que já vinha desenvolvendo esse trabalho nas escolas também está participando desse trabalho.

Terapia Comunitária

A terapia comunitária é outra novidade que promete ser bastante proveitosa para os cidadãos ubatubenses. Ela aconteceu pela primeira vez em Ubatuba durante o “Prefeitura no Bairro”, no sábado, dia 1. Um pequeno grupo de pessoas se formou para discutir assuntos que os afligem no dia-a-dia. Cada um falou de seus problemas e um tema foi eleito pelo grupo. O assunto escolhido foi abordado pela diretora da E. M. Gov. Mário Covas, Márcia Gomes. Ela falou sobre a tristeza que sente ao perceber tanta violência entre as crianças, que chegam na escola sem saber como se comunicar e conviver com os colegas e os professores. Para ela, essa atitude é conseqüência de famílias mal estruturadas, que não têm diálogo e estão cada vez mais afastadas da espiritualidade. “Os pais, hoje em dia, trabalham muito e deixam a educação dos filhos por conta da escola. Nós temos o nosso papel, mas a educação e o amor em casa são fundamentais. Existe muita cobrança, mas, muitas vezes, nós não percebemos o interesse da comunidade em participar dos acontecimentos. Os adultos são omissos até mesmo em relação à vida escolar dos filhos”.
O tema da diretora Márcia foi escolhido porque, na opinião dos participantes, ele resumia as inquietações de todos os presentes. Algumas pessoas falaram de violência, outras de estrutura familiar, participação da comunidade, tristeza, solidão e trabalho. O coordenador da terapia em Ubatuba, Dr. Érico Vasconcelos diz que essa troca de experiências tem grande relevância na sociedade. “Apesar de serem temas difíceis de se conversar, a terapia comunitária transcorreu com suavidade, misturando música, poesia e oração, de forma livre, democrática e ecumênica. É uma bela experiência, que tem o poder de transformar realidades”, avalia.

Saúde, Esportes, Cultura e Serviços

A comunidade do Ipiranguinha teve a oportunidade de utilizar diversos serviços que o evento tem levado aos bairros da cidade. O Setor Jurídico da Prefeitura forneceu aos moradores informações sobre questões de execução fiscal, tratando de assuntos como cadastro de imóveis mediante exibição dos títulos, informações sobre legalização de construções, averbações, acordos fiscais, entre outros temas. O Procon forneceu informações aos consumidores e realizou encaminhamentos. As equipes de Saúde da Família estiveram presentes, orientando e fornecendo dados sobre índice de massa corpórea, pressão e diabetes. Na área da saúde bucal, as dentistas realizaram um trabalho de conscientização e prevenção, com direito a teatro de fantoches e distribuição de escovas de dentes e suportes feitos de garrafas pet.
A Secretaria de Esportes levou jogos de bola e ginástica. A Fundart se encarregou de levar a música da Banda Lira Padre Anchieta, os pintores e suas obras, o cinema, os malabaristas e palhaços. As crianças puderam se divertir com diversos brinquedos e ambientes diferentes, brincado com os profissionais da “Casa do Brinquedo”, realizado numa parceria entre a Secretaria de Educação e Fundo Social de Solidariedade. PMU



Superintendente da Sabesp apresenta projetos para Ubatuba

Atendendo a uma solicitação do prefeito Eduardo César e de vereadores de Ubatuba, o superintendente da Unidade de Negócios da Sabesp, José Ricardo Manckel Amadei esteve na cidade para apresentar um panorama da empresa no município. Presentes à apresentação, Eduardo César, os vereadores Jairo dos Santos, Luciana Machado, Charles Medeiros, Claudio Gulli, Romerson de Oliveira, o Mico, os secretários de Obras, João Paulo Rolim, de Arquitetura e Urbanismo, Rafael Ricardi Irineu, do Meio Ambiente, Paulo Roberto Pires e representantes de Associações de Bairro, que puderam acompanhar a explanação dos serviços que a Sabesp oferece ao município e seus projetos futuros.Para o final deste ano, a Sabesp tem como prioridade a conclusão de duas estações elevatórias, uma no Tenório e outra no Perequê-Açu. Entre as obras programadas, que aguardam recursos, estão a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Maranduba, Estação de Tratamento de Água (ETA) na Praia Dura e a interligação do sistema Itamambuca-Carolina.O prefeito Eduardo César pediu uma definição quanto ao prazo de conclusão de obras que estão em andamento. “Precisamos chegar a um consenso sobre as obras que estão em andamento na cidade. Não podemos nos enganar. Precisamos garantir o tratamento de esgoto e o abastecimento de água não só para a população fixa, que segundo a Sabesp é de aproximadamente 78 mil pessoas, como para os turistas que nos visitam, que na temporada, ainda segundo a Sabesp chegam a 286 mil pessoas”, disse o prefeito. Para José Ricardo Amadei, a falta de recursos tem sido um impedimento para novos investimentos. “Esta administração tem sido uma grande parceira da Sabesp em diversos momentos. Temos obras que serão concluídas, porém para outras não há recursos disponíveis no momento. Hoje em dia pagamos uma carga tributária muito grande”, justificou o superintendente. Ficou acertado que uma nova reunião, agora de ordem técnica, será realizada no próximo dia 20, em local ainda a ser definido, para discussão de assuntos específicos. PMU



Workshop discute legalização da mineração em Ubatuba

A Prefeitura de Ubatuba e o IG (Instituto Geológico), com o apoio da FAPESP (Fundação Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo) promoveram na última sexta-feira e sábado o II Workshop do projeto “Diretrizes para a regeneração sócio-ambiental de áreas degradadas por mineração de saibro em Ubatuba".
Realizado no Centro de Visitantes do Núcleo Picinguaba do Instituto Florestal, o workshop abordou as dificuldades e quais as soluções para a mineração em Ubatuba, onde buscou-se discutir e apontar o papel e as estratégias da Prefeitura para a gestão da mineração de saibro no município, incluindo recuperação sócio-ambiental das áreas degradadas, produção sustentável para atender a demanda local e redução dos riscos à população. Dentre as soluções foi sugerido que a Prefeitura use o regime de extração mineral, que não necessita de licença, mas apenas de uma comunicação ao DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral). Esse regime permite que o material retirado seja usado nas imediações para conservação de vias públicas. Para isso é necessário que a Prefeitura tenha em seu quadro funcional um geólogo.
Durante o workshop foram formados quatro grupo de trabalhos, sendo o de representantes do Município, Estado e União, Setor Produtivo e Sociedade Civil. No próximo ano será realizado o último worshop para finalizar os trabalhos.Representando a Prefeitura de Ubatuba estiveram o vice-prefeito Domingos dos Santos, o secretário de Arquitetura e Urbanismo Rafael Ricardi Irineu, o secretário de Meio Ambiente Paulo Xri, a Assessora de Assuntos Externos Denise Martins Silveira e o Assessor de Assuntos Comunitários, René Nakaya. Rafael Ricardi e Denise Martins foram palestrantes.

Problema antigo

A exploração de areia, barreiro e granito verde em Ubatuba, nas últimas quatro décadas, sempre se deu de forma desordenada e sem compromisso com a correta finalização da lavra (local de extração), ocasionando grandes impactos ambientais. Segundo o IG, desde a década de 80, o Poder Público limitou completamente os locais de extração, mas até hoje não conseguiu recuperar as áreas degradadas pelo uso incorreto. Ainda de acordo com o Instituto Geológico, aliam-se a isso, a estagnação do setor formal de extração de saibro, frente às dificuldades financeiras, legais e ambientais e a crescente ocupação urbana desordenada em áreas mineradas, o que induz, respectivamente, a extração informal para atender a demanda e o surgimento de áreas de risco. Hoje a extração de saibro e areia em Ubatuba ainda é praticada de forma clandestina e utilizada por particulares. PMU



Fazendas marinhas são demarcadas em Ubatuba

Ubatuba é a primeira cidade do Estado a iniciar a demarcação das fazendas; trabalhos tiveram início na manhã de hoje

Técnicos do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), policiais ambientais e um técnico da FUNDEPAG (Fundação de Desenvolvimento de Pesquisas Agropecuárias) iniciaram hoje, terça-feira, em Ubatuba, a demarcação de fazendas marinhas. O trabalho teve início pela Região Norte do município, indo do Camburi até a Ilha da Rapada. A demarcação consiste em identificar os locais para a instalação das fazendas marinhas, de forma ordenada e gerando subsídios para o gerenciamento da maricultura na região.
A implantação dessas fazendas marinhas, ou parque aquícolas, faz parte do projeto “Elaboração de Planos de Desenvolvimento da Maricultura”, aprovado pelo Governo Federal e sob coordenação do Instituto de Pesca em parceria com Inpe/Funcate, Prefeituras municipais, Ministério da Agricultura, Polícia Ambiental e Associação dos Maricultores do Estado de São Paulo. Ubatuba tem 39 parques aquícolas. Os locais para a implantação das fazendas são estabelecidos de acordo com parâmetros ambientais e sociais , como condições da água, corrente marítima, conflito com outras atividades comerciais e poluição visual. Os trabalhos de demarcação deverão ser concluídos dentro de três a quatro dias, dependendo das condições do tempo e em seguida será iniciado nos municípios de Caraguatatuba, São Sebastião, Ilha Bela e Cananéia. “Realizada a demarcação das fazendas, será elaborado, de forma participativa com os segmentos envolvidos, um programa de desenvolvimento da atividade para cada município, cuja validação dos mesmos será feita por meio de audiências públicas ainda a serem marcadas”, explicou Daniela Kuntz, bióloga contratada pelo Instituto de Pesca.Todo o trabalho foi iniciado por meio de reuniões com maricultores e moradores das proximidades onde estão localizadas as fazendas marinhas. Quem quiser acompanhar os trabalhos de demarcação basta entrar encontrar em contato com Daniela Kuntz, na Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Pesca, pelos telefones (12) 3833-3500 ou 3833-2528. PMU



Profissionais da Saúde participam da “Oficina de Auto-Estima”

Os profissionais de Saúde da Família de Ubatuba participaram, na última sexta-feira, dia 30, da “Oficina de Auto-Estima”, que faz parte da política de estímulo e valorização desses profissionais, chamada “Cuidar do Cuidador”. A atividade abrange conceitos da Terapia do Abraço, que envolve reflexões sobre as potencialidades e as dificuldades de cada pessoa, utilizando o outro como espelho de si mesmo.
A idéia de realizar a oficina partiu de uma necessidade referida pelos próprios profissionais, em relação à realidade vivida no cotidiano de trabalho. Segundo o coordenador do Programa de Saúde da Família (PSF), Dr. Érico Vasconcelos, as dificuldades propiciam o aparecimento de doenças. “Ao se deparar com a marginalização, com questões sociais e a sensação de impotência para resolver os problemas das pessoas, o profissional da saúde acaba adoecendo também. Nesse momento, o cuidador passa a requerer cuidados, por ser também um ser humano que também sofre a interferência do meio em que trabalha. Nossa intenção com esse programa é preparar o profissional para lidar com isso”.
Participaram dessa primeira etapa, 163 profissionais, entre médicos, dentistas, enfermeiros, agentes comunitários de saúde, recepcionistas, técnicos de saúde bucal. Ao final da oficina, no momento em que as pessoas compartilham os sentimentos vividos durante a dinâmica, a agente comunitária Virgínia Medeiros, disse que a experiência serviu para ela perceber o quanto o cotidiano maltrata e “robotiza” os trabalhadores. “Às vezes a nossa rotina é tão difícil, que a gente perde a sensibilidade e paciência, tem dificuldade em entender a dor e a doença do outro. Hoje, eu percebi a importância de um abraço, de permitir que as pessoas se aproximem, sejam cuidadas. Percebi o quanto eu preciso disso também.” PMU

Notícias Esportivas

Vôlei de Ubatuba vence São Sebastião três vezes no mesmo dia

As equipes de vôlei de Ubatuba venceram os três jogos contra São Sebastião, disputados no último sábado, 1, em partidas da LIVOVALI, realizadas no Ginásio de Esportes José de Souza Gringo, o Gringão. A equipe mirim feminino Ubatuba/ Biodance, Nipak Honda, Auto Elétrica e Mecânica Marquinhos, venceu por 3 sets a 0 a equipe da casa, com parciais de 25/2, 25/16 e 25/3.Na segunda partida o time mirim masculino Ubatuba/ Kall Som, Assai Distribuidora de Água, Cristal Turismo precisou de 59 minutos para vencer, também por 3 sets a 0 (25/13, 25/10 e 25/15). A rodada terminou com vitória de Ubatuba na categoria juvenil masculino, com parciais de 25/11, 25/20 e 25/23. A equipe juvenil disputa o torneio com o patrocínio de Djalma Auto Peças. PMU



Beach Soccer feminino de Ubatuba conquista título em Caraguá

Com apenas uma derrota, na fase de classificação, a equipe de Beach Soccer Feminino de Ubatuba conquistou o Campeonato Municipal de Beach Soccer em Caraguá. Vencendo a equipe da SEJUV, de São Sebastião na final, pelo placar de 6 a 4, a equipe de Ubatuba, comandada pelo técnico Miltinho, garantiu essa grande conquista. Os gols de Ubatuba na partida final foram marcados por Meire (3), Camilinha (2) e Nice (1). Além do título, Ubatuba teve a artilheira da competição, Meire ( 21 gols) e a goleira menos vazada, Carol.Na campanha pelo título, a equipe de Beach Soccer de Ubatuba contou com Carol, Marília, Nice, Angélica, Gracilene, Mariana, Andréia, Camilinha, Meire e Tati. A comissão técnica foi composta por Damião e Carlão, além do treinador Miltinho.

Torneio

Para comemorar o aniversário de Ubatuba, a Secretaria de Esporte e Lazer promoverá no próximo dia 28, o “1º Torneio Esquina das Modas de Beach Soccer Feminino”. As inscrições podem ser feitas na Secretaria de Esporte até o dia 22. Algumas equipes que disputaram o Campeonato em Caraguá devem participar desse evento. PMU



Outubro é o mês do Surf em Ubatuba

Ubatuba, “A Capital do Surf”, receberá neste mês de outubro os principais surfistas do Brasil. O mês começou com a realização do Circuito Paulista Universitário, no ultimo final de semana, na Praia de Itamambuca. Entre os dias 7 e 9 acontecerá, na Praia Grande, a primeira etapa do Circuito Municipal de Surf. Promovido pela Associação Ubatuba de Surf, o circuito é considerado o maior do gênero em todo o Brasil, reunindo aproximadamente 200 atletas que irão disputar 16 categorias (Petit, Infantil, Iniciante, Iniciante-feminino, Mirim, Júnior, Sênior, Master, Longboard, Longboard-Master, Longboard-Veteranos, Universitários, Open-Masculino, Open-feminino, Pro-masculino, Pro-feminino).

Supersurf e “Semana do Surf”

Entre os dias 12 e 16, a Praia de Itamambuca receberá a última etapa do Supersurf, com a definição dos campeões brasileiros profissionais. Entre os homens, Fábio Gouveia, Jano Belo e Beto Fernandes são considerados favoritos. No feminino, apenas quatro surfistas ainda têm chances: Alcione Silva, Silvana Lima, Suelen Naraisa e Juliana Guimarães. Participarão surfistas de 13 estados do país, totalizando 86 atletas (60 atletas na categoria masculina e 22 na feminina, mais quatro surfistas convidados -três na masculina e uma na feminina), que terão as ondas perfeitas do canto de Itamambuca à sua inteira disposição.Logo após a definição dos campeões brasileiros, a cidade continuará respirando surf: de 25 de outubro a 1º de novermbro acontece a “Semana do Surf”. Diversas atividades serão programadas pelas Secretarias de Turismo e Esporte e Lazer de Ubatuba.O curador do Museu do Surf, Carlos Rizzo promete que durante a “Semana do Surf” boas notícias serão anunciadas. “Pretendemos divulgar o vencedor do concurso do logotipo do museu, além de uma grande campanha de arrecadação de objetos para o acervo. Esperamos tambem anunciar o local definitivo do Museu”, disse Rizzo.

Suelen é homenageada

A surfista de Ubatuba Suelen Naraísa recebeu o "Troféu Dia do Surf 2005", na última terça-feira, dia 27, na Assembléia Legislativa de São Paulo. A premiação dos melhores do surfe acontece há 10 anos. PMU



Resta uma vaga nas semifinais do campeonato Dentinho de Ubatuba

Calçados Fernandes e Auto Posto Jija se garantem matematicamente

Após a realização da sexta rodada do Campeonato da Escolinha Municipal de Futebol Rubens Salles, as equipes de Calçados Fernandes e do Auto Posto Jija (grupo B) asseguraram vaga nas semifinais do torneio. Na última rodada elas se enfrentam e definem o primeiro lugar do grupo. No grupo A, a vaga está mais próxima da equipe do Quiosque Pica-Pau, que tem 12 pontos e se garante nas semifinais com um empate. Ubadesklimp, com 11 e Pousada Ubatuba Paradise, com 9 pontos se enfrentam, sem nem poder pensar em empatar, além de depender de um tropeço de seu adversário. O time do Chaveiro Ligeirinho já havia garantido classificação. Os jogos do grupo A serão realizados no Estádio Municipal Cicillo Matarazzo à partir das 10 horas. Já os do grupo B acontecerão no campo do Horto, à partir das 9h.

Resultados da rodada de 1/10:

Grupo A – Pousada Ubatuba Paradise 2 X 1 Ismael Comida Caseira, Ubadesklimp 2 X 0 Porto Marina, Casa Globo 8 X 3 Kutelak e Chaveiro Ligeirinho 3 X 0 Quiosque Pica Pau.

Grupo B – Restaurante Baleia Branca 2 X 2 Mercado 24 Horas, Auto Posto Jija 11 X 1 Smidi Calçados e O Madeireiro 0 X 7 Papelaria do Estudante.

Classificação:

Grupo A – Chaveiro Ligeirinho, 18 pts; Quiosque Pica-Pau, 12 pts; Ubadesklimp, 11pts; Pousada Ubatuba Paradise 9 pts; Ismael Comida Caseira e Casa Globo, 7 pts.; Kutelak e Porto Marina, 3 pts.

Grupo B – Calçados Fernandes e Auto Posto Jija, 13 pts; Smidi Calçados, 9 pts; Papelaria do Estudante, 8 pts; Restaurante Baleia Branca e Mercado 24 Horas, 4 pts; O Madeireiro 0 pt

Próxima Rodada: 8/10:

Grupo A – Kutelak X Quiosque Pica Pau, Casa Globo X Porto Marina, Chaveiro Ligeirinho X Ismael Comida Caseira, Pousada Ubatuba Paradise X Ubadesklimp.

Grupo B – Auto Posto Jija X Calçados Fernandes, O Madeireiro X Mercado 24 Horas, Papelaria do Estudante X Smidi Calçados PMU

quarta-feira, outubro 05, 2005

Convenção de cores

emílio campi


Do lado do arco-íris existe um pote de ouro e pertinho dele uma cornucópia de onde saem as minúsculas criaturas da foto. Elas exprimem o real significado do termo "criação poética".

Sidney Borges

Emilinha

Meu primeiro contato com a morte ocorreu com pouco menos de quatro anos de idade. Foi quando morreu o meu avô. Lembro-me fotograficamente da cena. Vovô morreu na cama, deu o último suspiro aos quarenta e seis anos de idade, vitimado por um câncer no estômago. Morreu com uma vela nas mãos, contra a vontade, ele que não acreditava em nada foi submetido ao desejo de minha avó, que acreditava em tudo. Depois morreram outros parentes não tão próximos, alguns velhos, outros moços, até que um dia morreu minha mãe, eu já adulto. Foi quando entendi o significado real da perda. A morte, a partir desse dia, deixou de ser uma abstração, algo que aconteceria num futuro longínquo. Passou a ser uma companheira presente e por que não dizer, uma boa conselheira. Depois morreram outras pessoas queridas, meu pai, minha tia, minhas avós, meu avô materno longevo que chegou perto dos cem, alguns primos, aos poucos a família foi sendo substituída pelos que nasceram. Lembro-me bem do dia da morte de Tom Jobim. Eu estava na avenida Rebouças, preso num engarrafamento quando a rádio Eldorado começou a tocar músicas do maestro de forma contínua. Chovia fino. Num certo instante o locutor anunciou que Jobim havia morrido. Fiquei numa situação embaraçosa, os olhos se encheram de lágrimas, o trânsito andou e eu não conseguia ver nada. Ontem morreu Emilinha, a favorita da Marinha. O que ainda resta de minha infância são meras lembranças. Os personagens que a povoaram estão desaparecendo. Vida longa a Cauby Peixoto!

Sidney Borges

O Triângulo do Resgate

arquivo ubaweb

As calçadas de Ubatuba são verdadeiras pistas de obstáculos...

Luiz Moura
- Luiz, a situação em que me encontro mostrou mais claramente as dificuldades que passam as pessoas que tem problemas de locomoção. As calçadas de Ubatuba são verdadeiras pistas de obstáculos, disse dona Silvia Ley.
O encontro com dona Silvia, que recentemente sofreu uma cirurgia e está andando sob o amparo de uma bengala, faz com que eu cobre, mais uma vez, do prefeito Eduardo César, uma atenção para com a região central do município de Ubatuba.
Volto a lembrar as palavras contidas no "Diretrizes do Programa de Governo - Resgate Ubatuba", de Eduardo César,
"Estruturar nossa cidade para receber grupos diferenciados, tais como: terceira idade, deficientes físicos...".
Parece que respaldada no nome do empreendimento fronteiriço (Passeio Santa Fé), a calçada (foto acima) espera milagrosamente por um reparo. Já passou a hora da prefeitura intimar os proprietários a consertar o estrago feito na calçada há bastante tempo. A administração municipal também pode arrumar e mandar a conta para eles. Os pedestres agradecerão.
O local já tem nome: "Triângulo do Resgate". A pessoa se "estrepa" na calçada do Passeio Santa Fé, é carregada para os primeiros socorros na Santa Casa e "morre com a grana" dos remédios na Farmácia mais próxima.

PT versus PT

O Grupo Limpeza - PT de Ubatuba manifesta aos filiados, simpatizantes e a população em geral que:

-Agradece pela significativa votação obtida pelo companheiro Césario Prado no 1º Turno do Ped 2005 .

-Nossa convicção que o futuro do PT está ligado à constituição de grupos e núcleos de base comprometidos com a ética democrática e socialista que evite a burocratização e profissionalização que tomou conta do PT nos últimos tempos com os desastrosos resultados de público conhecimento.

-A necessidade do surgimento de novas lideranças com humildade e respeito pelas diferenças.

-Nossa crítica aos companheiros Plínio de Arruda Sampaio e Ivan Valente, apoiados por nosso grupo no 1º turno, pela atitude oportunista e pouco ética, de deixar o PT logo depois de perder a eleição.

-Que apoiamos no 2º turno na eleição nacional o companheiro RAUL PONT junto com as esquerdas petistas.

-Que o debate instalado em nosso DM sobre romper ou não com o governo E.César é falso e estéril.

-Que de fato, o grupo governante, já rompeu com o PT no dia seguinte da eleição ganha com o apoio decisivo do partido e sua militância.

-É prova disso a exclusão do PT das decisões estratégicas do novo governo e a ausência das políticas públicas defendidas pelo partido.

-O exemplo mais evidente é o não-comprimento do compromisso assumido publicamente por E.César de o PT comandar a Secretaria de Educação e a FUNDAC e o veto aos qualificados companheiros e projetos defendidos pelo partido, substituídos pelas indicações da Igreja Ágape.

-Que a coligação Resgate Ubatuba, vencedora com o voto popular, foi usada como um instrumento meramente eleitoreiro, optando-se para governar a aliança E.César-Ágape na mais escandalosa ocupação da administração pública por uma instituição religiosa jamais vista em nosso município e, provavelmente, em todo o país.

-Que as condutas utilizadas pela aliança E.César –Ágape para governar demostram padrões de moralidade hipócritas, preconceituosas e totalitárias.

-Por tudo isto, o grupo LIMPEZA, com o companheiro Césario Prado, e o apoio de nosso Vereador Jairo dos Santos, optamos, na impossibilidade de uma composição para o 2º turno, que desejamos e defendemos, por apoiar GERSON para presidente do PT de Ubatuba, considerando que tem se definido de forma mais clara e corajosa sobre o caminho que deveremos percorrer nos próximos três anos.

DOMINGO, DIA 9 das 9 às 17 hs, no Diretório Municipal do PT, Rua Pr. Thomaz Galhardo 905, NÃO DEIXE DE VOTAR EM RAUL PONT para Presidente Nacional e GERSON FLORINDO, Presidente Municipal.

Grupo LIMPEZA - PT Ubatuba.

Ponto e Contraponto

BANIR A LEGÍTIMA DEFESA. SIM OU NÃO

Herbert Marques
Um grande número de artistas de televisão está investindo na campanha para a proibição da venda de armas de fogo, plebiscito que terá curso neste mês com a seguinte pergunta: “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?” Sim ou Não.
Já que estamos sendo levados à urna obrigatoriamente, acho por bem o fazer com toda a seriedade que o assunto exige. Portanto, uma reflexão sobre o SIM ou o NÃO se faz necessário. Vamos começar com o SIM. Admitindo o substantivo estaremos dando uma falsa resposta ao governo de que nosso país a partir de então sairá do rol dos países mais violentos do mundo. Baniremos a arma de fogo para quem quer comprar, bem como o uso para quem já as tem, porque sem munição ninguém poderá usa-la e a situação estará resolvida. Os crimes cessarão, ou no mínimo terão uma baixa sensível em sua estatística. Isso mesmo, porque quem mata neste país são as pessoas de bem. Aquelas que adquirem uma arma depois de preencherem todos os requisitos para sua aquisição, que não são pequenos, e depois, com a arma na cintura como um figurante da novela Bang Bang, mata o primeiro que encontra. Uma utopia que não merece maiores comentários, mesmo porque não estamos escrevendo para idiotas.
As implicações da resposta NÃO. Negando-se a inusitada pergunta solitária do plebiscito certamente estaremos admitindo o resultado de uma reflexão mais complexa. Estaremos entrando em um dos conceitos inerentes do ser humano. A legítima defesa. Desde que o homem se organizou em sociedade e passou a codificar as normas básicas para a convivência, a legítima defesa aparece como requisito fundamental para a sua sobrevivência. No nosso atual Código Penal, não muito atual porque vem de 1941, está lá no art. 25: “Entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente nos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem.” O núcleo está na injusta agressão, diga-se de passagem, presente a todo momento em nossa sociedade mas nem sempre a exigir o uso da repulsa de forma lesiva, como via arma de fogo. Lembremos da forma pela qual Jesus expulsou os vendilhões do tempo, mas quem nos garante que em determinado momento de nossa vida não seja necessário usar meios mais contundentes que um chicote. Não esqueçamos que nesse Brasil de formato continental nem todos moram em condomínios com dispositivos de segurança para garantir a integridade física de seus moradores. Muito menos têm seus filhos escoltados por seguranças, esses sim, armados até os dentes, para conduzi-los a escola ou clube. No dia a dia de nosso Brasil a injusta agressão é iminente, tenham certeza que é.
Concluindo. O SIM implicará na negativa da legítima defesa e pior, em um país onde a violência impera de forma descomunal, batendo recordes em todo o mundo. Será negar aos cidadãos de bem se preparar para evitar o pior. Ser agredido em sua integridade física ou moral sem o sacrossanto e universal direito de defesa. Será depositar na mão do govorno, esse governo que estamos vendo aí, a nossa segurança e a de nossa família como se estivéssemos na Suécia ou na Suíça, onde os índices de bandidagem são inexistentes. O NÃO permitirá, como sempre permitiu, dar ao cidadão comum uma chance que seja para se defender já que não temos perspectiva de ver um país onde o Estado seja o verdadeiro guardião de seus cidadãos.

Movimento subversivo

Secretário do Interior de Minas Gerais nos anos 70, Ovídeo de Abreu adorava usar palavras difíceis. Certa vez, às vésperas de um pequeno tremor de terra em Bom Sucesso, ele telegrafou ao prefeito:
- “Movimento sísmico previsto essa região. Provável epicentro movimento telúrico sua cidade. Obséquio tomar as providências cabíveis”.
A resposta do prefeito chegaria quatro dias depois, também por telegrama:
- “Movimento sísmico debelado. Epicentro preso, incomunicável, cadeia local. Desculpe demora. Houve terremoto na cidade”.
Fonte: Cláudio Humberto

Ponto e Contraponto

Os danos da proibição de armas

Denise Frossard*
O bom senso, sob o fogo cerrado da proposta de proibição do comércio legal de armas, pode ser mais uma das vítimas da ingenuidade ou violência branca da demagogia.O que se pretende com a proibição? Reduzir a criminalidade é a resposta, tão imediata quanto impensada, que nos vem à cabeça. Mas é uma resposta equivocada. A proibição do comércio legal de armas não fará recuar nem um milímetro a ousadia do crime (organizado), não baixará a taxa de delinqüência das ruas nem mesmo trará o conforto de diminuir a sensação de insegurança que, hoje, atinge em graus variados a sociedade brasileira. A proibição do comércio legal de armas, como o simples aumento de penas, a mudança do fardamento da polícia, tantas outras medidas (anunciadas ou já implementadas), tem sobre a criminalidade o mesmo efeito de um arco-íris no céu: uma ilusão bonita aos nossos olhos. No caso da proibição do comércio de armas, a falsa sensação produzirá, no entanto, um efeito danoso: retirará do Estado a possibilidade de controle (ainda que frágil, como agora) e dificultará ainda mais a investigação de crimes praticados com esse recurso. Proibida a comercialização, o Estado não terá mais instrumentos para o controle da circulação de armas. Como a sensação de insegurança persistirá, porque as verdadeiras causas da criminalidade (corrupção e impunidade) não são resolvidas em razão das deficiências do Estado, o mercado inteiro de armas de fogo irá para a clandestinidade. As provas desse argumento são muitas. Uma delas está no documento "Fiscalização de Armas de Fogo e Produtos Correlatos", publicado pela imprensa, elaborado pelo coronel de infantaria Diógenes Dantas Filho, que, em conjunto com o Ministério Público Militar Federal, articulou uma ação policial militar para apreensão de armas clandestinas no Rio de Janeiro. O trabalho mapeia as rotas utilizadas pelo tráfico de armas e confirma a existência, em circulação, no Brasil, de 20 milhões de armamentos sem registro, em contraposição a 2 milhões de armas registradas. É uma absurda ingenuidade de uns (e razões suspeitas de outros) imaginar que, diante da proibição do comércio legal, ninguém mais comprará ou deixará de portar armas. O mercado não vai estancar simplesmente porque o Estado proibiu a comercialização. Historicamente não tem sido assim. Quem não se lembra da Lei Seca, nos EUA, ou da reserva de mercado de informática, no Brasil? Nos dois casos, e em muitos outros que a experiência de proibições comerciais mundo afora construiu, cresceu o mercado clandestino e o contrabando. Esse é o terreno fértil para aumentar a corrupção. A medida certa está no controle da fabricação e do porte de armas de fogo, e não na proibição da comercialização. Nesse ponto, é bom retirar do debate a idéia equivocada de que os que são contra a mera proibição estão no pólo oposto da argumentação, propondo "às armas, cidadãos". Não é assim. Acredito na eficiência da regulamentação e no controle rigoroso da fabricação, do porte e da importação de armas. Acredito na responsabilização direta e penal de todo aquele que, mesmo não portando armas, estimule o porte ilegal. Venho defendendo publicamente esses pontos de vista desde o começo dos anos 90. O caminho do controle foi tomado em fevereiro de 1997, com a edição da lei 9.437, que estabeleceu condições para o registro e o porte de armas de fogo e, mais relevante, configurou como crime possuir, deter, portar, fabricar, adquirir, vender, alugar, expor à venda ou fornecer, receber, ter em depósito, transportar, ceder (mesmo que gratuitamente), emprestar, remeter, empregar, manter sob guarda e ocultar arma de fogo, de uso permitido, sem a autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar. Até 1997, o porte ilegal de armas era uma simples contravenção penal. A partir de então, com a lei 9.437, passou a ser crime, com pena de prisão. Recentemente, o Senado melhorou ainda mais a lei, aprovando um projeto que, entre outras medidas, torna o porte ilegal de armas um crime inafiançável. A proposta do Senado será submetida à Câmara, onde terá o meu apoio. Apesar de não produzir resultados efetivos para o esforço de redução da criminalidade, que, comprovadamente, tem causas mais graves, a proposta para proibição do comércio legal de armas acabará sendo apresentada à população como um milagroso remédio. E nisto está o segundo, e talvez mais importante, equívoco. Sendo aprovada a proposta e em nada resultando no que concerne à necessidade de redução da criminalidade, veremos aumentar a incredulidade da população com as medidas que venham do Estado. Com isso, continuaremos perdendo um importante aliado na luta contra o crime: a confiança do cidadão no Estado.

*Juíza de Direito aposentada, fundadora da Transparência Brasil e Deputada Federal pelo PPS - RJ.
Enviado por Renato Nunes

“PARTIDOS POLÍTICOS”

Corsino Aliste Mezquita – Professor*
Temos, no Brasil, nada mais, nada menos, que 29 (vinte e nove) partidos políticos. Haja ideologias políticas diferentes!. Os nomes são similares e repetem conceitos (trabalhismo, socialismo, democracia, cristianismo) que nada significam em termos ideológicos, de filosofia política e projetos de governo. O trabalhismo aparece no nome de quatro ou cinco partidos. Prestando bem atenção, os trabalhadores, nunca estiveram mais desamparados e esquecidos. Os eleitos, pela boa vontade ou ingenuidade dos trabalhadores e dos menos favorecidos, quando chegam aos parlamentos ou aos poderes executivos esquecem os eleitores e favorecem os próprios bolsos, amigos, financiadores de campanhas, empresários, banqueiros, e tudo e todos que mantém e reforçam a concentração de renda, em mãos de poucos, fazendo, do Brasil, um dos países mais desiguais do mundo. Já inclusos nas elites econômicas, passam, usando de hipocrisia deslavada, a criticá-las, para iludir os eleitores.
Esse número de partidos, a inexistência de fidelidade partidária, de lideranças destacadas e aglutinadoras, a existência de caciques, coronéis, donos de partidos, facilidade para trocar de partidos e trair o eleitor, associar-se a igrejas cujo principal deus é o dinheiro e até a empresários do crime, criam um ambiente político que não permite, em curto prazo, acalentar esperanças de termos um país estável, próspero, honesto e equânime. Esse quadro projeta uma sociedade política indisciplinada, individualista, egoísta e da qual não pode se esperar seriedade e grandeza.
A crise e as CPMIs estão provando até onde podem ir as negociações escusas, a compra de votos, vontades, consciências, comportamentos e os efeitos nocivos dessa pulverização partidária. Estão evidenciando também como um partido sem nenhuma ética, carente de honestidade, adepto da violência, da mentira, da fraude e com domínio sobre ministérios, estatais, Polícia Federal, Banco Central, afinado com bancos privados e públicos, redes de comunicação e empresários corruptos, pode levar o país a aventuras e descalabros se não tiver contraposição vigilante da sociedade, da imprensa, da Justiça e, principalmente, dos partidos de oposição aos quais cabe a ação fiscalizadora. A experiência prova que, não havendo fiscalização, esses perigos se repetem nos Estados e Municípios.
Os métodos utilizados para eleger, neste quadrante da história do mundo e de nossa estrutura política e econômica, um comunista Presidente da Câmara dos Deputados e deputados se dobrarem a ameaças, agrados, afagos, verbas, cargos.... é preocupante. O pisca alerta da sociedade deve ser ativado.
Certamente o referendo sobre desarmamento faz parte desse processo de dominação de nossa sociedade insegura, empobrecida, iludida e desamparada. Como escreveu o insuspeito Presidente dos EUA, Benjamin Franklin: “QUANDO TODAS AS ARMAS FOREM DE PROPRIEDADE DO GOVERNO, ESTE DECIDIRÁ DE QUEM SERÃO AS OUTRAS PROPRIEDADES”. Poderíamos acrescentar: “de quem serão os direitos individuais e coletivos”. As prisões espalhafatosas e, segundo nossa avaliação de leigo, contrarias a vários incisos da Constituição Federal e aos artigos 5° e l2 da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, dos donos da Schinchariol, Daslu, o tratamento diferenciado dado ao doleiro que denunciou Maluf e ao que denunciou a turma que está no governo, devem alertarmos para a podridão no reino da Dinamarca dos Trópicos Meridionais.
A podridão é tanta que não querem abrir as contas dos Fundos de Pensão, apurar como são desviados os quatro bilhões de reais que, segundo Maurício Marinho (o suposto ladrãozinho de galinhas ou dos R$ 3.000,00 de suborno), somem, anualmente, dos cofres dos Correios, ou aqueles que desaparecem da Petrobrás, Furnas, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Loterias, etc. etc. Para iludir-nos, revoltar o povo, distrair nossa atenção do que é importante, grave e transcendente, descobrem fraudes no futebol, dinheiro da Xuxa, do Romário e de mais três mil, em paraísos fiscais. Quantos desses três mil participam do governo? Alguns já foram indicados. Pretende-se, com isso, abrir novos flancos e nada apurar. Haja paciência!
A situação vivida nos três poderes e nos três níveis de governo não está resistindo aos princípios mais elementares de educação cívica. Só para citar um exemplo.(A referência não pretende atingir ninguém individualmente). O eleitor já pensou na falta de respeito, de vergonha, de espírito associativo e de gratidão praticada por aquele político que se elege uma, duas ou mais vezes, por um partido, com 20% de votos individuais e 80% votos da legenda e, eleito, muda de partido, trai seus princípios e seus eleitores e passa a criticar aqueles que contribuíram ou lhe doaram 80% dos votos para que fosse eleito? Essa esbórnia nem os filhos prediletos de Macunaíma explicam! É nosso cardápio diário. Com esse desregramento e indisciplina partidária nunca teremos seriedade política, fiscalização eficiente dos governos e respeito ao eleitor.
* Ex-secretário da Educação de Ubatuba
 
Free counter and web stats