sábado, janeiro 29, 2005

Iraque

Quem estiver de posse das faculdades mentais e quiser continuar assim, deve esquecer o Iraque.
Tentar entender o que está acontecendo lá é inútil e pode levar à loucura.
Procurar esclarecimentos através da mídia também é perda de tempo, nada do que é dito e escrito tem relação com a realidade, aliás, nem os atores sabem o script, tudo é improviso. Só os mortos são reais.
A aventura começou mal e dificilmente terminará bem. Bush e sua troupe conseguiram a reeleição e a manutenção do poder, agora terão de justificar o dinheiro e as vidas desperdiçadas numa aventura sem justificativa legal.
É bom lembrar que a conexão Saddam Hussein – Osama Bin Laden nunca foi comprovada e as armas de destruição em massa não existiam.

Sidney Borges

Descatracalização

Sérgio Rodrigues
Quem não é de São Paulo tem boas chances de ter passado ao largo da polêmica, mas vale recapitulá-la. O tema da redação do vestibular da Fuvest foi a “descatracalização da vida”. O palavrão, disparado o mais impronunciável dos neologismos que temos visto nesses tempos neológicos, quer dizer tornar livre de catraca – para quem não sabe, regionalismo pelo qual é conhecido em São Paulo aquilo que em outras partes do país se chama de roleta, borboleta, torniquete, rodízio... A idéia, enfim, é tornar – no caso, a vida – livre de mecanismos de controle.

Maria Teresa Fraga Rocco, diretora da Fuvest, defendeu assim a escolha do assunto: “São várias as catracas da vida: financeiras, políticas, sexuais. O tema é muito rico”. Não convenceu a vestibulanda blogueira que, no dia seguinte, comentava com seus leitores: “Sussa, consegui fazer uma redação que no fim ficou mooh boa, maas, afff, ñ tinha um tema mais interessante pra darem de redação, pô!!”.

O articulista Fernando de Barros e Silva lamentou na “Folha” a escolha infeliz, que atribuiu ao “espírito meia-oito requentado que anima os examinadores da USP”. Aproveitou para sugerir: “Que tal ‘descatracalizar’ primeiro a língua em que devemos todos nos comunicar?”. Bingo.
Fonte: No Mínimo

Criatório de desocupados

Ronaldo Dias
Acredito, que se criou alguma (mais uma) credencial (ilegal), para tomadores de conta na rua, com a intenção (boa) de que com ela se obtivessem recursos para diminuir ou atenuar, temporariamente, suas dificuldades.
O certo é que a tal credencial na prática vira documento coercitivo e o tal cidadão, antes carente, vira empresário e fica valente. Subloca espaços públicos (loteando para outros sem credencias o seu “domínio”) renega e repudia “contribuições” menores do que R$1,00 por veículo. O resultado desta fórmula em nome do “tudo pelo social”, larga e estupidamente utilizada por vereanças passadas, tem se mostrado inconseqüente. Como são também as licenças de ambulantes. Criou-se sim, com estas verdadeiras distorções legais do uso do espaço público, uma classe superior, elitizada. Uma classe à margem da lei e ao mesmo tempo, (pasmem) protegida por ela. Esta classe tem as regalias das filantrópicas. São cidadãos ungidos, imunes aos rigores legais e das fiscalizações de toda ordem. Concorrem deslealmente com os legalizados, cada vez mais escorchados. Aos legisladores desinformados, mal preparados e “filantropos (com o nosso dinheiro)” cabe esclarecer que o que está faltando não são postos de trabalho. Postos de trabalho, para quem realmente trabalha nunca faltou. O trabalho, como o capital, vale quanto rende.

Notícias da Prefeitura

Ubatuba sim, Dengue não

Cerca de 700 voluntários vão as ruas contra a dengue

Será neste sábado, a partir das 7 da manhã, a mega operação contra o mosquito da dengue em Ubatuba
Acontece neste sábado, 29, uma mega-operação para manter a cidade de Ubatuba longe da dengue. A campanha promovida pela Secretaria Municipal de Saúde em conjunto com todas as outras secretarias da prefeitura, intitulada “Ubatuba Sim, Dengue Não!” vai às ruas, mobilizando um batalhão de voluntários. O objetivo é eliminar os criadouros do mosquito da dengue em boa parte da região centro-oeste da cidade. Segundo o Secretário de Saúde, Marcos Silveira Franco, essa operação pode ser considerada a maior de todas as realizadas até hoje no município. “Nas palestras preparatórias, os voluntários, a maioria, funcionários públicos, demonstraram a preocupação em manter a dengue fora de Ubatuba. É alto o grau de infestação do mosquito Aedes aegypti, e não podemos correr o risco de uma epidemia”, disse Franco.

Nenhum caso em 2004

A cidade foi dividida em 20 áreas onde os cerca de 700 agentes estarão distribuindo material educativo e eliminando os focos encontrados. Todo o efetivo e maquinário da Secretaria de Obras estarão nas ruas. A Secretaria de Educação também acionou seus membros para buscar focos em toda a rede municipal de ensino. Diversas associações de bairro foram contatadas pela Assessoria de Assuntos Comunitários e deverão atuar em suas regiões. A Guarda Municipal e a Polícia Militar estarão dando apoio às ações.
O prefeito Eduardo César acompanhará de perto toda a movimentação. “Contamos com a participação de cada morador de Ubatuba. Vamos evitar a chegada da dengue em nosso município. Se cada um fizer a sua parte poderemos comemorar mais um ano sem registrar casos de dengue em Ubatuba”, disse Eduardo, lembrando ainda que as outras regiões também devem colaborar. “Mesmo os moradores de outros bairros podem participar, eliminando os possíveis focos dos mosquitos”, completou o prefeito. PMU


Coleta seletiva

Prefeitura irá expandir coleta seletiva do lixo. Bairros que ainda não são atendidos, podem acionar os serviços da coletiva seletiva através do telefone 3832-2846

A cidade de Ubatuba implantará, em breve, um sistema de coleta seletiva de lixo em todas as regiões do município. Atualmente esse material vem sendo coletado apenas em algumas localidades, porém, os interessados podem pedir que a coleta seja feita em suas residências através do telefone 3832-2846.
A reciclagem vem se tornando a solução para o problema do lixo em todas as cidades. Apesar de estar sendo construída uma grande obra no aterro sanitário de Ubatuba para aumentar sua capacidade, trata-se, segundo o Secretário de Obras, João Paulo Rolim, de uma alternativa que se esgotará em menos de dois anos. “Para que a vida útil do local seja ampliada a coleta seletiva do lixo é indispensável”, afirma o secretário.
A coleta seletiva e a reciclagem de resíduos são soluções indispensáveis, por permitir a redução do volume de lixo para disposição final em aterros. O fundamento deste processo é a separação, pela população, dos materiais recicláveis (papéis, vidros, plásticos e metais) do restante do lixo, que é destinado a aterros ou usinas de compostagem.

O que é reciclável

Podem ser reciclados materiais como papel, papelão, jornais, revistas, cadernos, folhas soltas, caixas e embalagens em geral, caixa de leite, caixas de papelão (desmontadas), metais (ferrosos e não ferrosos) latas em geral, alumínio, cobre, pequenas sucatas, copos de metal e de vidro, garrafas, potes e frascos de vidro (inteiros ou quebrados), plásticos (todos os tipos), garrafas PET, sacos e embalagens, brinquedos quebrados, utensílios domésticos quebrados

Resultados ambientais

Os maiores beneficiados por esse sistema são o meio ambiente e a saúde da população. A reciclagem de papéis, vidros, plásticos e metais - que representam em torno de 40% do lixo doméstico - reduz a utilização dos aterros sanitários, prolongando sua vida útil. Se o programa de reciclagem contar também com uma usina de compostagem, os benefícios são ainda maiores. Além disso, a reciclagem implica uma redução significativa dos níveis de poluição ambiental e do desperdício de recursos naturais, através da economia de energia e matérias-primas.

Resultados econômicos

A coleta seletiva e a reciclagem do lixo doméstico apresenta, normalmente, um custo mais elevado do que os métodos convencionais. No entanto, iniciativas comunitárias ou empresariais, podem reduzir a zero os custos da prefeitura e mesmo produzir benefícios para as entidades ou empresas. De qualquer forma, é importante ressaltar que o objetivo da coleta seletiva não é gerar recursos, mas reduzir o volume de lixo, gerando ganhos ambientais. É um investimento no meio ambiente e na qualidade de vida. Não cabe, portanto, uma avaliação baseada unicamente na equação financeira dos gastos da prefeitura com o lixo, que despreze os futuros ganhos ambientais, sociais e econômicos da coletividade. A curto prazo, a reciclagem permite a aplicação dos recursos obtidos com a venda dos materiais em benefícios sociais e melhorias de infra-estrutura na comunidade que participa do programa. PMU


Ação Ambiental verão 2005

Ubatuba é uma festa, mas vamos cuidar da casa!

O projeto eco-educativo Ação Ambiental Verão 2005, teve sua abertura oficial no Quiosque Kaiambá da Praia Grande de Ubatuba ao som da banda “Sociedade Lira Padre Anchieta” no domingo, 23. Durante o “show”, a agente ambiental Maria Luciana Camargo, passou mensagens ao público, sobre a importância do cuidado e do respeito com a vida sob todas as formas.
No último fim de semana, 600 pessoas foram atendidas pelos agentes ambientais vindos da ASSU, SOS Mata Atlântica e FUNDAC. Participaram das oficinas arte-educativas 68 crianças. Das pessoas entrevistadas, 60% consideraram a Praia Grande suja, 72,5% acham que o turista não cuida das praias de Ubatuba e 100% das pessoas consideraram importante o trabalho de educação ambiental nas praias. Foram recolhidos 16 sacos de lixo (60 litros) nos “arrastinhos de conscientização”.
O projeto, que está sendo realizado pela ASSU (Associação Sócio-Ambiental Somos Ubatuba), SEMA (Secretaria do Meio Ambiente) e SEIVA (Advogados da Natureza) vem acontecendo desde o dia 15 de janeiro. “Cuidado e Respeito” são palavras de ordem no projeto que teve sua primeira edição em 2004. Esse ano, o “Ação Ambiental” conta com uma base fixa na Praia Grande, e uma equipe móvel que percorre outras nove praias do município.
Neste final de semana, dias 29 e 30, o Ação Ambiental estará com uma base fixa na Praia Grande (localizada em frente ao prédio da COMTUR, ao lado do Quiosque Kaiambá) desenvolvendo oficinas interativas; mutirões de limpeza; pesquisas de opinião; oferecendo informativos-turísticos; anotando denúncias e sugestões para encaminhamento; entre outras atividades. PMU


Beach Soccer Five faz sua estréia em Ubatuba

16 equipes entram em ação na Praia Grande

Acontece nesse domingo (30) o 1º Torneio Beach Soccer Five, na Praia Grande, em Ubatuba. É o primeiro torneio dessa modalidade do futebol de areia, onde os times formados por cinco jogadores (sem goleiro) disputam partidas com dois tempos de 10 minutos. A quadra tem demarcação de 30 X 15 e os gols tem o tamanho reduzido: 1,20 X 1,20. A partida fica bem movimentada, proporcionando um belo espetáculo, tanto para quem joga quanto para quem assiste. cada time pôde inscrever oito jogadores, porque na areia o desgaste é maior, principalmente para as equipes que vão avançando no torneio. O sorteio das partidas será realizado às 8h30. Entre os favoritos, destacam-se as equipes Cruz de Malta, Smidi, Silop, Sol e Vida e Rua Nova.
Os responsáveis pelo futebol na Secretaria de Esporte e Lazer, Damião Celestino e Luis Aleixo Costa estão confiantes no sucesso do evento. “Mais de dez equipes já confirmaram participação na quinta-feira pela manhã. Será mais um campeonato para movimentar o futebol durante o ano, e não só no verão”, diz Aleixo. Já Damião acha que os grande duelos do futebol de campo, têm tudo para se repetir na areia. “Os times de campo podem formar duas ou mais equipes para a areia”, lembra Damião. As melhores equipes receberão troféus e medalhas. O 1º Torneio Beach Soccer Five é realizado pela Secretaria de Esporte e Lazer e tem patrocínio do Quiosque Baguari, Doceria Terral’s e Restaurante Tortilhão. PMU



Reurbanização da avenida Iperoig irá receber sugestões da comunidade.

Anteprojeto de revitalização da avenida será transformado em maquete que ficará exposta no pátio da Prefeitura

Um grande projeto que vai alterar profundamente a região central de Ubatuba, nas proximidades do mar, voltou a ser discutido essa semana na Prefeitura Municipal. A reurbanização e revitalização da Avenida Iperoig, que durante dois anos foi idealizada e planejada por um grupo de urbanistas voluntários da cidade vai agora ganhar uma maquete para que toda a comunidade também possa participar de sua elaboração final com propostas e sugestões.
O anteprojeto, que já tem sinal verde do Dade – Departamento de Apoio e Desenvolvimento das Estâncias –, de onde deverão vir os recursos para sua execução, está agora sob a responsabilidade de um grupo formado pelos secretários municipais de Arquitetura e Urbanismo, Meio Ambiente, Turismo e Obras. “É a primeira vez que um grande projeto como esse envolve várias secretarias, numa demonstração de que a participação é o melhor caminho para construirmos a cidade que todos desejamos”, lembra o secretário de Arquitetura, Sidney Giraud, um dos urbanistas voluntários que está nesse projeto desde o seu início.

Novo traçado

Segundo Sidney Giraud, uma parte desse grande projeto – Avenida 9 de julho até a Praça Capricórnio – já foi concluída e agora a proposta é a reurbanização da avenida Iperoig, desde a Praça Capricórnio até o Farol dos Pescadores. E essa revitalização, segundo o anteprojeto, inclui desde um novo traçado do sistema viário, até uma nova proposta paisagística, com grandes áreas de lazer e esporte, com quadras poliesportivas, núcleos de playgrounds, sanitários, palcos para eventos culturais, além de uma nova identidade visual.
“Com essa reurbanização teremos um centro revitalizado, moderno e extremamente valorizado”, explica Sidney Giraud, lembrando que essa área da cidade há muito tempo reclama de atenção. “Trata-se de uma área nobre da cidade, com muitos atrativos para os turistas, que precisa, urgentemente receber benfeitorias”, afirma lembrando, porém, que o interesse maior que deve reger todas essas alterações deve ser o do município como um todo e não o de meia dúzia de pessoas.

Participação da comunidade

A maquete, que deverá estar concluída em 30 dias, ficará exposta no pátio da Prefeitura para que todos possam ter uma idéia mais clara das benfeitorias que aquela região central irá receber com esse projeto. A comunidade poderá participar, com sugestões entregues no Gabinete do Prefeito, até 15 de março. PMU

sexta-feira, janeiro 28, 2005

Guaruçá vem aí! Abram alas!

Luiz Roberto de Moura

Editor do Ubatuba Víbora experimentando sua fantasia de Guaruçá

Preparem-se foliões, este ano o Bloco Guaruçá vai botar para quebrar. As fantasias estão quase prontas, o chapéu que é visto na fotografia é apenas uma amostra. Tudo com a assinatura do carnavalesco Julinho Mendes, uma espécie de Joãozinho Trinta esticado.

Sidney Borges

Dos gordos...

Essa coisa da magreza obrigatória está criando problemas nas cabeças afeitas aos modismos. As garotas dos desfiles – ideal de beleza de 99 entre 100 meninas – são invejadas e imitadas em vão.
Come-se muito, é mais fácil ser gordo do que ter uma silhueta de sílfide.
Por falar em gordos, há uma falácia criada por parte deles e que encontra eco em muitas cabeças. As pessoas se dizem gordas por culpa de disfunções hormonais. Quem nunca ouviu uma pipa dizer: - eu não como nada e engordo!
Provavelmente não come nada entre a pizza das dez da manhã e o sundae de chocolate da sobremesa, exceto o almoço frugal, lasanha, lombo assado e batatas coradas.
Zeca Gordo fazia jus ao apelido, pesava cento e oitenta quilos para um metro e setenta de altura. Era uma autêntica almôndega, seu prato preferido.
A mãe, dona Lazinha, orgulhava-se do apetite do filho: - dá gosto ver ele comer! Uma vez Zeca comeu as vinte e oito almôndegas que fariam parte do molho da macarronada para nove pessoas.
Nesse dia seu João, o pai, pela primeira vez fez alusão aos hábitos pantagruélicos do filho: - acho que esse menino está exagerando.
Quando completou dezoito anos Zeca ganhou um carro de presente, um Chevrolet Impala SS, com câmbio no chão e bancos separados.
Na primeira semana bateu de frente a mais de cem por hora. Foi para o hospital com a cara arrebentada. Os médicos tiveram de costurar os dentes com um fio de aço, o maxilar fraturado ficaria imobilizado por muito tempo.
Zeca passou a alimentar-se apenas de líquidos; emagreceu trinta quilos em pouco mais de um mês.
A medida em que o tempo passava, Zeca emagrecia a olhos vistos e entristecia no mesmo ritmo em que as banhas derretiam. Certo dia, não podendo mais suportar a fome, procurou seu amigo Zizo, que era um tanto abilolado, uma espécie de cientista maluco. Com a ajuda do “artista” retirou o arame dos dentes, que o impedia de comer.
Depois foi ao Tim Tom, a lanchonete da moda onde pediu um xistudo duplo e uma vitamina de abacate para acompanhar.
Na primeira mordida o maxilar travou após dar um estalo que foi notado por todos que estavam no recinto.
Com os olhos arregalados e aterrorizado, Zeca foi levado mais uma vez para o hospital e submetido a uma cirurgia de emergência. Amarraram novamente os dentes. Sem alternativa, ele se conformou. Passou fome até que a fratura consolidasse, o que acabou lhe custando mais cinqüenta quilos.
Quando recebeu alta pesava cem quilos, ainda era gordo, porém, distante da almôndega de outrora. A nova silhueta durou três meses, no quarto Zeca já havia engordado quarenta quilos. Depois disso nunca mais o vi, até que na semana passada um velhinho careca me cumprimentou sorridente.
Depois de conversarmos um pouco acabei reconhecendo o Zeca Gordo, agora magrinho e enxuto. Ele fez cirurgia de redução de estomago e depois oito plásticas para retirar a pele que sobrou, segundo o próprio, suficiente para cobrir um circo.
Pareceu-me satisfeito, é dele a frase: - não havia gordos nos campos de concentração!
É verdade, só é gordo quem come mais do que precisa, essa história de pôr a culpa no metabolismo é balela.
Quando disserem que Buda comia apenas uma xícara de arroz por dia e era gordo daquele jeito, não acredite, é mentira, Buda morreu engasgado com carne de porco numa orgia gastronômica.

Sidney Borges

A Comtur na Web

Procurando o saite da Comtur, fiz o que qualquer internauta faria, digitei www.comtur.com.br.
Tive uma enorme surpresa ao ver o resultado, o que aparece na tela não tem nada a ver com a empresa.
O endereço é redirecionado para outro saite, cujo dono registrou o domínio.

Por coincidência, registrou também www.setur.com.br.
Virtualmente ele é o dono do turismo da cidade.

Sidney Borges

As águas continuam rolando...

Por favor chuva ruim, não molhe mais o meu amor assim...

Ouço tanto falar em Anchieta em Ubatuba que fiquei surpreso quando em conversa com o professor Quincas tomei conhecimento da possibilidade dele nunca ter estado aqui; teria sido outra a Ubatuba à qual se referem os relatos históricos, uma praia situada entre Paraty e Angra dos Reis.
Depois falamos dos símbolos da cidade, da bandeira e do hino, aí me ocorreu ser injusto a cidade não ter atinado para o incrível Jorge Benjor, que há muito tempo, quando ainda era Jorge Ben, compôs a música que deveria ser o hino oficial da cidade.
Chove chuva. Nada mais apropriado!
Como sou freqüentador da região desde 1968, o ano que nunca acabou, não tenho lembrança de tanta chuva como agora, parece ter aumentado a intensidade das águas que caem. Quem sabe, no futuro, a cidade poderá vender o precioso líquido, que segundo as previsões, vai rarear no planeta. Finalmente Ubatuba encontrará o caminho da prosperidade, caída dos céus. Será realizado o sonho da população que sempre esperou uma solução mágica, sem esforço. E nesse caso, sem dízimo!
Eu costumava vir para o litoral com o meu amigo Benetazzo – Antônio Benetazzo, ex-estudante de Filosofia e Arquitetura, morto pela repressão em 1973. Benê morava no Copan, Bloco B, apartamento 1218, era professor de História da Arte do cursinho Universitário e do cursinho do Grêmio, além de ser membro atuante do movimento estudantil.
O apartamento era um "point", freqüentado por muitos que hoje estão no poder, inclusive alguns ministros! Quando a barra pesou, depois do AI-5, era comum virmos para o litoral nos fins-de-semana, a família dele era de São Sebastião, onde seu pai, Pietro Benetazzo, tinha uma loja de artesanato. Eu ia para a Ilhabela, para a casa da namorada, Benê aproveitava a carona.
Discutíamos muito, nunca engoli a invasão da Tchecoslováquia, também nunca pude compactuar com a Revolução Cultural chinesa, que matava professores, no entanto, aprendi demais com ele. Aliás, nos quase 10 anos em que freqüentei a USP, seja na Poli, na FAU ou na Física, aprendi mais com os colegas do que com os professores.
A morte do Benê foi um desperdício, perdeu-se uma cabeça brilhante que faz falta num país carente de idéias. Por ser da região, ele deveria ser homenageado, dando nome à algum logradouro público. Seria apropriado numa cidade em que certas ruas receberam nomes de pessoas de comportamento duvidoso.
Comuniquei o fato à cúpula do PT, falei da luta política, do idealismo, da proximidade com o ministro José Dirceu, infelizmente uma joaninha entrou na sala e o meu interlocutor, distraído pelo fato, não prestou atenção ao que eu dizia.
Assim é Ubatuba. Há quem acredite que poderá mudar, pode ser, temo a demora, meu tempo escasseia, minha paciência também.


Sidney Borges

Ubatuba nas eleições de 2006

Gerson Florindo*
Vou lutar para que o Partido dos Trabalhadores lance candidato a deputado nas próximas eleições. Farei isso no diretório, de forma democrática como são sempre as decisões do partido, com a certeza de ter ao meu lado a verdade. Acredito que será mais uma atuação de suma importância do PT visando o seu crescimento. Com o resultado obtido nas eleições para Prefeito, onde o PT foi primordial na vitória do Eduardo César, temos a certeza que com uma campanha para deputado será consolidado o espaço de uma política progressista. Sempre é bom lembrar que o PT tem como meta beneficiar a maioria da população da nossa cidade e, ao mesmo tempo, banir de vez os nefastos que buscam meios para permanecer no cenário político municipal.
No Litoral Norte o PT de Ubatuba é o único que tem condições de liderar uma política de combate ao coronelismo que impera há muitos anos em nossa cidade. Aumenta ainda mais a nossa responsabilidade no fortalecimento do partido para o próximo pleito eleitoral de 2006, dando sustentação ao governo Lula e sua reeleição, tendo em vista que o Brasil caminha a passos largos no rumo do crescimento.
* Membro da Executiva do Diretório do PT de Ubatuba

Notícias da Prefeitura

Comissão define detalhes técnicos do Carnaval 2005

Uma reunião na tarde de ontem, 26, reunindo o comando da Polícia Militar, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Setor de Trânsito, Secretarias de Turismo e Obras, além da Fundart, definiu os últimos detalhes técnicos do carnaval 2005 de Ubatuba. Segundo o Secretário de Turismo, Luiz Felipe Azevedo, foram detalhadas questões como o cronograma dos desfiles, locais de concentração dos blocos, corredores de trânsito, vias alternativas de tráfego durante os desfiles, localização de viaturas de emergência e posicionamento dos comandos que serão realizados durante os dias de folia.

Família e segurança

Por questões de segurança e de escoamento do trânsito, o tradicional bloco da Cachorrada, esse ano, muda de local de concentração. Ao invés de sair de frente do Tubão, esse ano a concentração do bloco vai acontecer na rua Salvador Correa, próxima a rua Liberdade. “O carnaval de 2005 será apoiado no binômio família e segurança”, afirma o Secretário Luiz Felipe. E completa: “Teremos os desfiles dos blocos tradicionais pela avenida Iperoig e no coreto de Praça, a banda composta por músicos da Lira Padre Anchieta realizará os bailes com as tradicionais marchinhas”. A folia do Momo esse ano começa na cidade no dia 4, sexta-feira, às 20 horas e termina só na madrugada no dia 8. PMU



Erro de reportagem provoca mal entendido na educação

Informação dada por assessora de Caraguá é divulgada como se fosse de Ubatuba

O Jornal “Correio do Litoral” (edição do dia 22 a 28 de janeiro, pág. A5), publicou uma matéria que dá a entender que a assessora de imprensa, Ana Carolina Muri, trabalha na Secretaria de Educação de Ubatuba, o que não é verdade. Em declaração ao referido jornal, a assessora afirma que “a gestão avaliou e comprovou não haver necessidade de construção de escola no município. Outro dado relevante é que nenhum prédio precisará passar por reformas”.
A assessoria de imprensa da Prefeitura de Ubatuba esclarece que essa informação diz respeito à realidade de Caraguatatuba, já que Ana Carolina Muri é funcionária daquela cidade, e não de Ubatuba. Segundo a secretária de Educação, Isabel Roseli de Souza Leite, “em Ubatuba, infelizmente, isso não acontece ainda. Esse fato foi comprovado pela interdição da Emei Centro, no último dia 25, por absoluta falta de condições de funcionamento”.
Valendo-se dessa informação errônea publicada pelo jornal, o ex-secretário de educação, Sr. Corsino Aliste Mezquita afirmou em carta aberta à comunidade que havia contradição entre as declarações feitas pela equipe da nova administração. Isabel acrescenta que, “de forma alguma houve contradição da nossa parte, o que houve foi um lamentável erro de informação do jornal.” PMU



Arrastão contra a dengue irá visitar 20 mil casas

Operação será neste sábado e irá envolver 700 voluntários

A Secretaria de Saúde de Ubatuba finaliza os preparativos para a grande mobilização que acontece neste sábado, dia 29, contra o mosquito da dengue. Uma reunião realizada na tarde de quinta-feira, com as secretarias envolvidas no arrastão definiu a estratégia de ação das equipes.
Segundo a coordenação do movimento Ubatuba Sim, Dengue Não, a cidade será dividida em duas grandes áreas: Perequê-Açu / Aeroporto e Aeroporto / Parque dos Ministérios. Um verdadeiro exército, com setecentos voluntários, se reunirá às 7 da manhã na escola Tancredo Neves para visitar cerca de vinte mil residências. Terrenos baldios serão visitados e o entulho retirado.
A Vigilância Sanitária de Ubatuba pede a todos os moradores e veranistas para que colaborem, facilitando o acesso do pessoal credenciado às casas, para que os possíveis criadouros do mosquito Aedes aegipti sejam localizados. Antônio Jorge, chefe da vigilância sanitária em Ubatuba cita os números em 2004. “Essa região que será visitada sábado, responde por 92 % da infestação do mosquito na cidade. A região norte apresenta
2 %, a oeste 5 %, e a sul 1 % respectivamente”.
Em 2004 a cidade apresentou 40 casos suspeitos, todos sem confirmação. Porém, a população não precisa esperar o sábado para colaborar. A participação de todos é fundamental para evitar que a dengue chegue a Ubatuba. “As pessoas já podem retirar os objetos que possam servir de abrigo ao mosquito, colocar em um saco de lixo preto e marcá-lo com fita adesiva. No sábado esse material será dedetizado e encaminhado ao aterro”, avisa o chefe da vigilância.

Prevenção

A prevenção continua sendo a melhor forma de evitar o contato com a doença. Noventa por cento das pessoas contraem a dengue por meio de picada do mosquito, através de focos caseiros. Mais de 50% das larvas são encontradas nos pratos dos vasos de plantas.
O melhor método para se combater a dengue é evitando a procriação do mosquito Aedes aegypti que é feita em ambientes com água parada, seja ela limpa ou suja. Substitua a água dos vasos de plantas por areia grossa umedecida. Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Na hora de lavar qualquer recipiente de armazenamento de água, passe um pano grosso ou bucha nas bordas para remover os ovos do mosquito que podem estar nas paredes ou no fundo do recipiente. Esvazie as garrafas sem uso. Garrafas vazias devem ser guardadas de cabeça para baixo. Pneus velhos são um dos lugares preferidos do mosquito da dengue. Por isso, eles devem ser furados e guardados em lugar coberto. Mantenha as caixas d´água, poços, latões, cisternas e filtros bem fechados. Troque diariamente a água de bebedouros de animais, que devem ser guardados em locais frescos. E não se esqueça de lavar bem o recipiente com uma escova ou bucha. Mantenha limpas as calhas, lajes e piscinas. Elimine a água acumulada em bambus, bananeiras e bromélias. Evite plantas que acumulem água, como gravatás, babosa, espada-de-São-Jorge, entre outras.Todo material descartável que acumula água como por exemplos, copos de plástico, latas, tampinhas de garrafa e sapatos velhos devem ser esvaziados e jogados no lixo. PMU

quinta-feira, janeiro 27, 2005

Os tambores da tribo anunciam...

Luiz Moura
Os recursos naturais e culturais existentes no município de Ubatuba são as fontes que atraem os visitantes. Preservá-los é a condição essencial para o êxito do desenvolvimento turístico.
Pensando em fazer de Ubatuba um município essencialmente turístico, quando falo em preservação não estou querendo que se proíba a utilização dos recursos naturais, mas sim o seu uso dentro de critérios urbanísticos e arquitetônicos que possibilitem uma expansão que leve em conta a capacidade de carga do ecossistema envolvido. É evidente que estou falando de áreas ainda não urbanizadas (sem infra-estrutura e/ou serviços urbanos). As áreas já urbanizadas e sem ocupação deverão sofrer uma reavaliação, por técnicos, levando-se em conta o seu entorno, para que não sejam empecilhos ao desenvolvimento pretendido. Para melhorar as condições turísticas das áreas ocupadas proponho a execução de planos de tratamento e revitalização envolvendo a comunidade, que serão mais bem assimilados pelos proprietários se lhes forem dados incentivos fiscais na adoção (comprovada) desses planos públicos.
Com relação a cultura caiçara, deve ser feito um trabalho de resgate, documentação e divulgação, com a coordenação da Fundart - Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba, envolvendo todas as secretarias municipais.
Para que tudo de certo é indispensável que a Câmara Municipal dê o suporte necessário, adequando a legislação ou até fazendo novas leis e o Executivo seja severo na execução da legislação.
Juntos, o Legislativo e o Executivo terão que tomar as medidas necessárias para, realmente, tornarem Ubatuba um município onde o turismo seja levado a sério. Até lá continuaremos convivendo com as
coisas absurdas que acontecem por aqui.
Empreendimentos como o que está sendo edificado no morro Curuçá, conhecido como o morro da Prainha, só vem causar estranheza uma vez que apesar da agressão gritante ao meio ambiente não se ouviu um pio dos ecologistas de plantão. Mais estranheza nos causa o show nele realizado na segunda feira, 24, sendo que no domingo (23), em conversa com o secretário de Arquitetura e Urbanismo, arquiteto Sidney Hipólito
Giraud Souto, o mesmo afirmou categoricamente que o local não tinha as condições mínimas de segurança.
Show realizado, população do Perequê-Açú e parte do Taquaral sendo obrigada a permanecer acordada, pois a altura do som as impediu de dormir, ficou a esperança para a população que mora no centro que no
próximo show, as condições atmosféricas sejam idênticas e ela não tenha que, também, ficar acordada.
A maioria da população de Ubatuba deseja para o município a implantação de um turismo ordenado que a beneficie com a geração de renda e empregos, sem a degradação do meio ambiente. É necessária gente preparada para que o município seja colocado no rumo correto e alcance o desenvolvimento que merece.


Nota do Editor: Luiz Roberto de Moura é engenheiro civil e consultor de informática. Iniciou no jornalismo em 1970 como colaborador da Folha da Baixada. Na administração pública, em Ubatuba, dirigiu várias secretarias municipais. É o responsável pelo UbaWeb - O Portal de Ubatuba.

Ubachove e encharca a temporada

Pedro Paulo Teixeira Pinto - Professor*
A temporada de verão, até agora, tem tido como personagem principal, a chuva. As pessoas com as quais nos encontramos, antes de bom-dia já tascam: “que chuvarada hein?!” Todos se incomodam muito com o mau tempo que insiste em permanecer constante durante longos dias numa cidade cuja principal atração chama-se mar.
Com isso escasseiam os visitantes, os “turistas” por sentirem-se prejudicados pelo desequilíbrio entre custo e benefício; estabelece-se queda no consumo; frustra-se o mercado, provocando avarias no humor de comerciantes, adiando planos de planos de quitação de compromissos e investimentos. Conseqüentemente é prejudicada a economia local como um todo. É ruim.
Se a nossa demanda turística ocorre somente em noventa dias do ano, quando o verão se faz de chuvas abundantes “a vaca vai pro brejo”, força de expressão que denota uma situação real.
Por outro lado, numa cidade onde o patrimônio natural é a única atração, tudo se complica. Não temos uma estrutura de lazer minimamente satisfatória num lugar onde a presença de chuvas só perde para a região amazônica. A infraestrutura urbana também é precária, em parte pela grande extensão litorânea a exigir grandes recursos para ser realizada, por conta de suas condições naturais como, por exemplo, o lençol freático que é alto e estamos bem próximos do nível do mar.
Adaptar-se a tudo isso, mais o grande índice de ocupação irregular do solo, para oferecer mais conforto às populações fixa e flutuante custa muito dinheiro. O que fazer? Esperar é o que fazemos há anos.

* Ex-prefeito de Ubatuba

Greve nonsense

Duas notícias no mesmo dia nos levam a pensar seriamente na racionalidade humana. A primeira diz respeito ao DAC e à proibição dos vôos da VASP. Por determinação do órgão público foi consumado o que já era um fato. A VASP perdeu linhas por não cumprir com as obrigações pertinentes à uma empresa prestadora de serviços. Na seqüência os pilotos entraram em greve! Ora se a empresa está proibida de voar, qual é o sentido da greve? Supondo que as reivindicações dos grevistas fossem atendidas de imediato e a greve suspensa, ainda assim nada mudaria, pois como determinou o DAC, com pilotos em greve ou não, a VASP está proibida de voar. Essa greve é atemporal, não vai servir para nada.

Sidney Borges

A quem possa interessar!

Carta Aberta à Sra. Secretária Municipal de Educação de Ubatuba

Prezada Senhora:

Como já lhe comuniquei, na transmissão do cargo, não tenho hábito de voltar aos locais onde tive cargos diretivos uma vez que deles me afastei. Não será diferente em relação à Secretaria Municipal de Educação.
Entretanto continuarei a exercer a cidadania e defenderei minha honra quando atacada ou maculada por pessoas menos escrupulosas e desrespeitadoras dos direitos constitucionais do próximo.
Em relação ao meu comportamento e das equipes que comigo trabalharam, posso afirmar-lhe que, fizemos uma administração honesta, dinâmica, produtiva e respeitadora da Lei nº 101/2000 - Lei de Responsabilidade Fiscal, Lei nº 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação – e toda a legislação federal, estadual e municipal relacionada à Educação e que, se alguém falar o contrário, e V.Sa., lhe der crédito, estará agindo levianamente, distraindo-se das tarefas estressantes da Secretaria e perdendo seu tempo.
Alertei-a para alguns cuidados especiais que deverá ter com alguns de seus colegas de secretariado e para os perigos de ser usada para desmoralizar a administração anterior e ou desviar dinheiro, prédios e veículos da Educação para outros fins que não aqueles para os quais são destinados. Pelas reportagens da Rádio Costa Azul, do dia 26.01.05, Vossa Senhoria já mordeu a isca em relação ao primeiro alerta e falou coisas que a realidade contraria e que em outra reportagem, no mesmo dia, sua assessoria contraditou quando afirmou: “Em Ubatuba não são necessárias construções ou reformas, todas as crianças serão atendidas sem quaisquer problemas” . Alguns dos outros alertas já estão ocorrendo.
Vossa Senhoria e sua equipe sabem das dificuldades de manutenção que sempre apresentou o Prédio da EMEI Centro e dos constantes cuidados para mantê-lo limpo e em funcionamento. Parece que esses cuidados não existiram nos últimos dias e a situação do prédio se agravou como conseqüência das chuvas torrenciais dos dias 16 e 17/01/05 sobre um prédio velho, com telhado de telha francesa e outros problemas estruturais. Problemas que existem faz, aproximadamente, vinte anos que são os que aquele prédio atende a creche e que todas as administrações procuraram superar para poder atender as crianças. O agravamento da situação com as chuvas exige, da Secretaria Municipal de Educação, outras providências além da interdição, pela Vigilância Sanitária, com direito a Band Vale, Rádio Costa Azul e entrevistas indicativas do desconhecimento da realidade.
O “Prestando Contas” que apresentamos a toda a comunidade de Ubatuba e gentilmente publicado no Jornal “A Cidade” nº. 989 de 11/12/04, corresponde à realidade existente até 31.12.04. Posso informá-la que antes de publicá-lo conferi, prédio por prédio, a situação em que se encontrava cada um, para ser fiel à verdade. De todos ficou conhecido meu costume de conferir as realidades com meus próprios olhos e fazer minhas avaliações particulares. Como escrevi antes, alguns de seus assessores confirmaram, de público, o que estou afirmando. Pelas suas palavras, V.Sa. não teve o cuidado de visitar os mais de 50 (cinqüenta) prédios da Rede Municipal de Educação antes de desmentir o “Prestando Contas”.
Nossa responsabilidade com a Educação Municipal foi até o dia 31/12/04. Como a realidade é mutável e os problemas nos prédios, nas pessoas, e nas ações aparecem a cada dia não podemos ser responsabilizados pelas conseqüências causadas por fenômenos naturais ocorridos a posteriori e já na atual administração. Entendemos que os administradores deverão ser mais prudentes, mais honestos e realistas na divulgação de fatos que denigrem o município de Ubatuba e realizar ações positivas no sentido de construir imediatamente a creche já programada, projetada e prevista no orçamento para o terreno da antiga ELEKTRO e, desse modo, poder desativar, temporariamente e sem prejuízo do atendimento, prédios que precisam de reformas abrangentes ou de serem derrubados e substituídos por prédios modernos e adaptados às novas realidades, como é o caso do prédio da Rua Paraná, 347.

Para concluir posso dizer-lhe que o êxito de sua administração e equipe, a frente da Secretaria Municipal de Educação, não será conseguido tentando desmoralizar a anterior. O êxito só será alcançado praticando ações inteligentes, nobres, eficientes, sábias, com visão de presente e de futuro que superem em grandeza, abrangência, diversidade e pluralismo o que foi feito anteriormente.
Apresento-lhes cordiais saudações.

Corsino Aliste Mezquita
Ex-secretário da Educação de Ubatuba
Fonte: Litoral Virtual

O ser humano tem jeito?

Leonardo Boff
O cataclismo do sudeste da Asia suscita em muitos os fantasmas do fim do mundo ou pelo menos do fim possível da espécie humana. E com razão, pois não se trata de fantasmas mas de sinais perturbadores. O prêmio Nobel de biologia de 1974, Christian de Duve em seu empolgante livro Poeira Vital, a vida como imperativo cósmico (Campus 1997) afirma que nos dias de hoje "a evolução biológica marcha em ritmo acelerado para uma grave instabilidade. De certa forma, o nosso tempo lembra uma daquelas importantes rupturas na evolução, assinaladas por extinções em massa". A causa desta instabilidade vem de um asteróide terrível que é a espécie humana. Desde que surgiu como homo habilis há mais de dois milhões de anos vem desequilibrando sua relação para com a natureza. Até quarenta mil anos atrás os danos ecológicos eram insignificantes. Mas a partir desta data começou um assalto sistemático à biosfera, porque foram desenvolvidos instrumentos que tornaram bem sucedida a dominação da natureza. Em poucos milhares de anos, os caçadores extinguiram os mamutes, as preguiças-gigantes e outros mamíferos pré-históricos. Nos dias atuais, este processo se agravou a ponto de anualmente se extinguem milhares de espécies de seres vivos por causa da ação humana.
Existe uma taxa de extinção de fundo que é normal, cerca de duzentas espécies por ano. E.O.Wilson, o grande nome da biodiversidade, estima que o número das espécies esteja entre dez a cem bilhões, embora catalogados cheguem só a 1,4 milhões. Destas, uma a cada 13 minutos desaparece devido à agressão sistemática de nosso estilo de vida depredador e consumista. O cientista Norman Myers calculou que somente no Brasil, se estão extinguindo nos últimos 35 anos quatro espécies por dia.
Já há 2 milhões de anos que estamos dentro da Idade do Gelo. A atual fase interglacial quente começou há 18 mil anos e prossegue. Conforme os padrões do passado deveríamos ingressar num novo período de resfriamento. Entretanto nossa espécie alterou a natureza da atmosfera. Dois gases importantes produzem desequilíbrios: o ozônio e o dióxido de carbono. Este que realiza a fotosíntese das plantas e libera oxigênio para a atmosfera se elevou excessivamente devido às indústrias e às queimadas. Produz o aquecimento global, o efeito estufa, os degelos e os tufões. Se nos próximos decênios a temperatura aumentar em 10 graus, os oceanos se elevariam a 73 metros e ocorreria uma catástrofe inaudita. O outro é o ozônio. Buracos em sua camada deixam de bloquear a radiação ultravioleta que produz câncer de pele, afeta o código genético e extingue espécies.
A estes problemas acresce a carência de água potável e a super população da espécie humana que já ocupou 83% do planeta depredando-o. Poderão os seres humanos viver juntos numa única Casa Comum? Não somos seres pacíficos, mas extremamente agressivos, faltos de cooperação e de cuidado. O astrônomo real Martin Rees da Inglaterra em seu recente livro "Nosso Século Final" estima que, a correrem as coisas como correm, podemos nos liquidar ainda neste século.
Catástrofes como a do sudeste da Ásia nos fazem pensar e nos estimulam a ter outro comportamento, de mais cuidado e de responsabilidade. Se não acharmos uma solução coletiva e racional, a seleção natural o fará irracionalmente contra nós. Essa é a lição que nos oferece a história da vida.

Fonte: EcoTerra Brasil

Farofeiros em revista!

Farofeiro de luxo - Mesa alugada de R$25 a R$50

A crise está chegando às praias, com as famílias preferindo levar bebidas e comidas de casa e se sujeitando a alugar mesas com sombreiro nas barracas por R$25 a R$50 em Piatã, ou R$5 na Ribeira, fazendo economia
Eles vêm em comboio, dando um verdadeiro sentido à frase "Nós vamos invadir sua praia". Acompanhados da família quase sempre numerosa chegam às praias de Salvador de manhã cedo e ficam até o pôr-do-sol, podendo virar a mais nova mania nas praias brasileiras. São os farofeiros de luxo que podem ser encontrados de Piatã até a Ribeira. Como distinguí-los? Como qualquer farofeiro levam comida e bebida de casa. A única exceção ao farofeiro tradicional é que este fica na areia, levando bolada de peladeiro e tomando caldo. Os de luxo chegam a pagar de R$25 a R$50 pelo aluguel de uma mesa com direito a cadeiras e sombreiro para se proteger do sol. Pelo preço e a depender da barraca podem usar banheiro e chuveiro.
A explicação dos barraqueiros para um simples aluguel de mesa sair tão salgado é que, segundo eles, 'esse tipo de consumidor' não consome e acaba ficando horas utilizando a infra-estrutura do ambiente. Se o cliente não tiver preferências por praias pode se dirigir ao outro lado da cidade, na Ribeira, onde o preço do aluguel da mesa com cadeiras e sombreiro, sem consumo, cai para R$5. Uma explicação para o surgimento desse novo tipo de farofeiro é o baixo poder aquisitivo da população. O preço dos produtos e serviços nas praias também sofreram com a inflação. Com a alta estação e o aumento do número de turistas circulando na cidade, aumenta a exploração dos barraqueiros. O preço de uma latinha de cerveja pode custar em média R$1,70, e a garrafa, R$2,50.
Se o banhista quiser consumir na barraca ele não paga pelo aluguel do espaço, mas o preço dos serviços podem transformar o passeio de domingo numa grande enxaqueca. Se o baiano não pesquisar, ele pode gastar mais que o previsto no orçamento da família com lazer. Em tempos de vacas magras, certos serviços saem extremamente caros na alta estação. Por isso, muita atenção na hora de escolher a praia para o divertimento de domingo. Se uma família composta por quatro adultos e duas crianças for a Piatã passar o dia inteiro e decidir consumir os produtos oferecidos numa barraca de praia, gasta de R$150 a R$200 com alimentação e transporte.
O cardápio inclui uma média de 14 cervejas a R$2,50 (R$35), seis refrigerantes em latas a R$1,30 (R$7,80), duas moquecas de peixe a R$25 (R$50), seis acarajés a R$3 (R$18), seis águas minerais a R$1 (R$6), duas porções de batata frita a R$5 (R$10), duas porções de aipim com carne do sol a R$15, (R$30) e duas porções de caranguejo a R$16 (R$32). O total é de R$188,80. Se optar por levar de casa o preço cai para R$ 60. Essa verdadeira ciranda financeira com os preços dos serviços e produtos oferecidos nas praias da cidade leva muita gente a optar pelo velho frango com farofa na vasilha de plástico.
Se optasse pela praia da Ribeira, a mesma família gastaria com o mesmo consumo entre R$75 a R$80. Os preços caros nas barracas são influência direta da alta estação, quando o número de turistas circulando na cidade aumenta mais que o dobro da média habitual. Exemplos? Em certas praias o baiano encontra o caranquejo a R$3 a unidade e um simples acarajé, idem. Se decidir gastar gasolina ou sola de sapato, pode comer um caranguejo e acarajé a R$ 1,50 a unidade. Até para ficar sentado na barraca com sombreiro o banhista paga. Em média R$ 15 a R$20 em Piatã se decidir não consumir nada. Se pelo menos beber uma cerveja o barraqueiro se torna camarada. Cobra R$ 5. A dona de casa Neuza Borges protesta contra os preços. "A gente só não paga pelo bronzeado porque o céu ainda não tem dono", coloca.
Uma outra queixa dos banhistas é o grande assédio de vendedores ambulantes que não deixam ninguém ficar em paz para curtir a areia e o sol. A vendedora Maria das Graças Souza, 25 anos, diz que não tem mais sossego. "É um porre. Fico indignada. Quero tomar meu banho de sol e vem logo alguém querendo me empurrar alguma coisa", desabafa. Já Antônia Lima, 45 anos, critica o mau uso do espaço físico. "Um bando de homens jogando bola. Machucam crianças e qualquer um que estiver na frente", cita, e acrescenta: "Outro problema é com crianças que vêm soltar pipa na praia. A linha geralmente tem cerol e oferece riscos aos banhistas. Fora os problemas com os donos de animais, que mais parecem doentes mentais, e trazem os bichos para a praia", frisa.
A queixa do officeboy Genival Silva de Aquino, 32 anos, morador da Bocado Rio, é outra. Há mais de três anos ele freqüenta Piatã. Sua família composta por quatro adultos e duas crianças têm uma renda de R$ 800. Apenas ele, o cunhado e a irmã trabalham e ganham em média um salário mínimo cada. Num único dia eles chegam a gastar R$ 150, entre cerveja, refrigerante, caranguejo, acarajés, água mineral, carne do sol com aipim, mariscada e outros tira-gostos. Por essa razão, ele e sua família preferem trazer os alimentos e bebidas de casa. O gasto com sanduíches e a refeição, além das bebidas, cai para R$ 60, divididos por eles. Só com a passagem do ônibus a tropa gasta R$ 18."O que acontece com as barracas nessa época do ano é um absurdo. Tudo fica pela hora da morte. É muita exploração", desabafa Genival.
Já a família do funcionário público Gilson de Oliveira, 36 anos, é formada por 7 pessoas. Quatro adultos e três crianças. Num domingo eles gastam quase R$ 250 divididos entre os adultos. "O calor intenso faz a gente beber muito. As crianças ficam com muito apetite. Mais que o habitual. Quando a gente vai ver, gastamos quase isso. Entre cerveja, refrigerante, água mineral, petiscos e refeições", coloca e acrescenta: "Prefiro gastar dinheiro aqui do que trazer de casa. O incômodo é maior. Tem que trazer isopor. Aqui é mais tranqüilo", pontua o funcionário público. Ao som do arrocha comendo churrasquinho e bebendo cerveja gelada. O frango com farofa é prato de domingo e não pode ficar de fora. Nem os sanduíches de queijo e o feijão tropeiro feito em casa. A macarronada e a salada de maionese fazem parte do menu. Nos isopores, muita água gelada, Coca-Cola e cerveja.
Na roda de amigos e familiares a música rola solto. Em tempos de crise, juros altos e preços caros, as figuras conhecidas como 'farofeiros', que já serviram de alvo de chacota da galera, voltam a cena. Hoje o farofeiro chique é aquele que leva comida e bebida de casa e aluga a mesa com as cadeiras. O farofeiro brega continua sendo a velha figura que fica sentada na areia e enfrenta bolada, cachorro correndo, corre-corre de criança e outros tipos de situações engraçadas que apenas quem freqüenta praia sabe de cor e salteado. Tanto o farofeiro chique quanto o brega precisam ter muita disposição para encarar a vida.
Trazer sacolas de comida, tomar ônibus até chegar à praia ou enfrentar mais de 45 minutos para estacionar seu veículo. Sem esquecer da grana do guardador de carros que em média custa R$ 2.

Publicado no jornal A TRIBUNA (Salvador 26/01/05)
Enviado por Ronaldo Dias

Notícias da Prefeitura

Início das aulas na rede municipal

A Secretaria de Educação da Prefeitura de Ubatuba informa à população que o ano letivo de 2005 terá início no próximo dia 14 de fevereiro em todas as escolas da rede municipal de ensino, inclusive creches e Emei’s. Durante os dias 10 e 11 acontecerão reuniões pedagógicas e de planejamento entre funcionários e professores. PMU


Tudo pronto para a 8ª Copa Verão de Jiu Jitsu

Ubatuba recebe mais de mil praticantes da milenar arte marcial

A 8ª Copa Verão de Jiu Jitsu começa neste sábado (29) no ginásio de Esportes Tubão, com a disputa do estilo Subfigth (sem kimono). As lutas serão disputadas com um tempo máximo de dez minutos, sendo que nos cinco minutos iniciais será computada apenas a finalização e em caso de empate, nos minutos restantes vale quem aplicar o primeiro golpe perfeito. Como novidade, Ubatuba será o palco de estréia das categorias Feminino e Master (acima de 35 anos). Os quatro melhores atletas de cada categoria receberão medalhas.
No domingo (30) é a vez do Jiu Jitsu (com kimono), nas categorias Masculino e Feminino, em todas as idades e faixas. As lutas duram de três a dez minutos, conforme a graduação dos atletas. As atividades tem início previsto para às 9 horas nos dois dias do evento. A organização espera a participação de mil e quinhentos lutadores no primeiro grande torneio de 2005. Ubatuba participará com cerca de trezentos atletas de diversas academias. Entre os destaques André Galvão, campeão mundial Absoluto em 2004. Ubatuba também tem atletas que devem subir ao pódio, como os irmãos Oziel e Joel Hecher, Natalício, Valdir, Tinho e Rodrigues.
Antes dos atletas irem ao tatame, acontece um curso de arbitragem na sexta-feira, dia 28, no Centro de Artes Marciais de Ubatuba. Podem participar atletas, professores e instrutores. O curso tem início às 20 horas e as inscrições podem ser feitas na rua D. João III, 165. A 8ª Copa Verão de Jiu Jitsu, é organizada pela FESP (Federação do Estado de São Paulo) com apoio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer. O evento tem o patrocínio de Sorvetes Nestlé, Jija Bikes, PHM Pneus, Funerária Litorânea, Restaurante 100 Miséria, Maria Alves Mat. Construção, Di Tudo, Casa Fernandes, Cavec Yamaha e Djalma Auto Center. PMU


Prefeitura reutiliza panfletos para realizar campanha contra a dengue no município

A Prefeitura Municipal de Ubatuba decidiu utilizar os panfletos de divulgação da campanha contra a dengue, confeccionados na administração anterior. Por motivo de economia, os 20 mil panfletos que sobraram da campanha no ano passado serão aproveitados, para levar ao cidadão ubatubense informações importantes sobre a prevenção e eliminação de possíveis focos do mosquito da dengue.
O prefeito Eduardo César explica que a importância da campanha justifica a reutilização do material, uma vez que os recursos financeiros deixados pela antiga administração impossibilitam determinados gastos. Os folders que serão reutilizados custaram, na época, cerca de 7 mil reais. “Estamos nos valendo da criatividade para contornar os problemas deixados para nós como herança. Encontramos uma frota sucateada, equipamentos saqueados e uma verba aquém da esperada, já que a antiga administração não previu a correção do IPTU de acordo com o índice de inflação anual. Por essas razões, todos os recursos que pudermos economizar serão de grande valia para o município”. PMU


Última oportunidade para visitar a 1ª Mostra Itinerante de Artes Plásticas

A exposição mostra uma variedade de cores e formas que agrada a qualquer gosto
Termina neste domingo, dia 30, a 1ª Mostra de Artes Plásticas na Fundart, que traz diversas obras nos estilos acadêmico e contemporâneo. Depois do dia 30, só será possível apreciar a exposição em Campos do Jordão, para onde a exposição irá durante a temporada de inverno.
São mais de 185 obras, entre telas e esculturas. Cerca de 100 artistas do Litoral Norte Paulista, Vale do Paraíba e grande São Paulo, participaram da exposição, dentre eles, 16 ubatubenses. Técnicas diversas, que variam entre óleo sobre tela, acrílico, mistura de materiais, colagens, trabalhos com giz pastel e esculturas em madeira e em concreto celular.
A 1ª Mostra foi organizada através de uma parceria entre o Estúdio Neves Artes de Guaratinguetá e o Grupo Setorial de Artes Plásticas da Fundart. O coordenador do evento e artista Paulo Alves, diz que é muito importante promover exposições desse porte em Ubatuba. “A 1ª Mostra conseguiu reunir na Fundart, obras de muita qualidade, divulgando a nossa arte e valorizando os artistas. Para nós, foi uma grande surpresa, a 1ª Mostra superou todas as expectativas, foi um sucesso”. Em menos de um mês de exposição, foram mais de 5 mil visitantes
A entrada da exposição é franca e o preço das peças varia de R$ 120 a R$ 9.000. O horário de visitação é das 15h às 22h. Não perca essa oportunidade! PMU


Beach Soccer 5 na Praia Grande

Torneio de futebol de areia integra programação da Secretaria de Esportes e Lazer

Continuam abertas as inscrições para o 1º Beach Soccer 5, que acontece neste domingo (30) no canto esquerdo da Praia Grande. Algumas equipes tradicionais da cidade formaram times para participar dessa nova modalidade de futebol na cidade. O Smidi promete vir com força total, contando com Marcelo Yoyô, André Gil e Adílio; a equipe do Cruz de Malta contará com Willian Banana e o time da Silop também desponta como favorito, pois obteve bons resultados nos torneios disputados em 2004.
Segundo o Secretário Municipal de Esporte, Bittencourt Jr., o torneio pode ser o embrião de um campeonato maior. “Tem muita gente boa na cidade que vai querer participar. São 128 jogadores envolvidos em uma época em que o futebol está parado na cidade e o torneio também vai ser outra opção de lazer para os turistas”.
As equipes serão formadas por cinco atletas, sem goleiro. O torneio deve contar com 16 equipes disputando partidas com dois tempos de 10 minutos e em caso de empate, será usado o critério de sorteio para definir quem passa a próxima fase. A quadra terá demarcação de 30 X 15 e os gols 1,20 X 1,20. Cada equipe pode inscrever até oito componentes (três reservas) e as inscrições podem ser feitas na sede da Secretaria, que fica atrás do Ginásio de Esportes Tubão até o dia 28. O sorteio das partidas será realizado no domingo às 8:30 hs na Praia Grande.
Damião Celestino, do Setor de Futebol da Secretaria de Esportes e Lazer, acha que é uma chance de desenvolver a modalidade em Ubatuba “Se a aceitação do pessoal da cidade for boa, vamos criar o circuito municipal”. PMU


Artistas ganham espaço na Setur para expor a cultura caiçara

Um tema diferente a cada mês, expondo belezas e manifestações culturais de Ubatuba

A Secretaria de Turismo de Ubatuba inicia a partir desse mês uma série de exposições de arte e artesanato no Centro de Informações Turísticas, com o objetivo de divulgar a cultura caiçara aos turistas e aos próprios moradores da cidade.
As exposições serão temáticas e têm início todo dia 22 de cada mês. Todos os artistas ubatubenses estão convidados a participar. As obras ficarão um mês na Setur e depois serão encaminhadas para o Paço Municipal, onde ficarão expostas durante mais um mês.
Para a abertura da série, foi escolhido o tema “Pássaros da Mata Atlântica”. Segundo o “birder” (guia para observação de pássaros), Carlos Rizzo, “esse tema é muito importante porque turistas do mundo inteiro procuram Ubatuba para observarem a nossa avifauna”.
O Centro de Informações Turísticas de Ubatuba recebe, em média, 300 pessoas por dia. Sua localização, na praia do Cruzeiro, e a estrutura panorâmica permitem que o espaço se torne uma vitrine, favorecendo a visualização das obras. O Secretário de Turismo, Luiz Felipe Azevedo diz que o objetivo da exposição é “valorizar nossos artistas e mostrar ao turista um pouco da nossa arte e da nossa gente. Nada mais justo do que abrir um espaço para a demonstração dos nossos melhores valores artísticos e culturais”, completa Felipe. PMU

Calendário

Janeiro/Fevereiro – Pássaros da Mata Atlântica
Fevereiro/Março – Plantas e Flores da Mata Atlântica
Março/Abril – O Corcovado de Ubatuba
Abril/Maio – Mães e Maternidade
Maio/Junho – Peixes e Pescadores
Junho/Julho – Praias de Ubatuba
Julho/Agosto – Primavera
Agosto/Setembro – Paz de Iperoig
Setembro/Outubro – Crianças
Novembro/Dezembro – É Natal!


Ubatuba quer ficar longe da dengue

“Ubatuba Sim, Dengue Não!”

A Secretaria de Saúde de Ubatuba realiza neste sábado, dia 29, um grande arrastão para manter a dengue fora do município. Serão mobilizadas cerca de setecentas pessoas, que visitarão vinte mil domicílios, com o objetivo de eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Funcionários das Secretarias de Obras, Educação, Turismo, Esportes e Lazer estão recebendo orientação para colaborar com as equipes da Secretaria de Saúde e do Programa de Saúde da Família.
Os agentes recolherão todo material que poderia se transformar em criadouro do mosquito e também orientarão os moradores a manter suas casas livres de criadouros.
Os terrenos baldios receberão especial atenção, pois devido às chuvas dos últimos dias, tornaram-se áreas de grande risco. Segundo o secretário de Saúde, Marcos Silveira Franco, essa é uma boa época para ações desse tipo. “A maioria das casas de veraneio estão ocupadas, o que facilita o nosso trabalho. Esperamos contar com a colaboração de todos, pois queremos manter a dengue afastada de Ubatuba”.

Arrastão nas escolas

A Secretaria de Educação mobilizará seu efetivo para atuar nas escolas da rede municipal de ensino, checando e removendo possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, enquanto a Secretaria de Obras fará vistoria nos pátios de trabalho.
“Todo o material recolhido será ensacado, pulverizado com inseticida e depois encaminhado ao aterro sanitário”, informou Antonio Jorge Silveira, coordenador da vigilância sanitária. “O mosquito pode depositar seus ovos até em uma tampinha de garrafa, por isso vamos recolher todo o material encontrado”, completou Silveira.

O Mosquito - O transmissor da dengue é o Aedes aegypti, inseto altamente doméstico, inteiramente relacionado à população humana.

Características - Pernilongo de coloração escura e tórax com faixas brancas, que formam uma lira na parte superior. O macho se distingue da fêmea porque tem as antenas mais plumosas. A fêmea pica durante o dia, pondo seus ovos tanto em criadouros artificiais como naturais. Criadouros com água suja são rejeitados. Possui preferência por depósitos artificiais, escuros, localizados em áreas sombreadas, sem poluição, pobre em sais e matéria orgânica. São exemplos de criadouros os pneus, pratos de vasos de plantas, caixas dágua destampadas, bebedouros de animais domésticos, latas, garrafas, barris, bromélias, tambores e qualquer outro objeto feito pelo homem que possa reter água.

quarta-feira, janeiro 26, 2005

Só em Ubatuba!

O tempo passa, o tempo voa, e as coisas em Ubatuba continuam como sempre, numa boa...
Façamos um teste, entrem no endereço virtual
http://www.setur.com.br
Que beleza é a página da Secretaria de Turismo de Ubatuba – Setur, acessada no mundo inteiro.
Muito bem, agora olhem no final da página, do lado esquerdo. Está escrito:
Domínio setur.com.br cedido por
www.ubatubasp.com.br (entre para ver quem é o abnegado cedente)
Se vocês quiserem enviar um e-mail para a Setur, então o endereço será
setur@ubatuba.sp.gov.br
A população de Ubatuba quer saber o porquê. Qual a razão da prefeitura fazer propaganda gratuita (?) para alguém e qual a necessidade de construir um saite com um domínio cedido por um comerciante da cidade se existe o ponto gov à disposição? A prefeitura pagou por isso? Se o fez é caso para o Ministério Público. Com a palavra as autoridades competentes. Amanhã falaremos da Comtur.

Sidney Borges

Passat ou não Passat?

Dia de coincidências. Pela manhã escrevi uma nota sobre futuro político-partidário do ex-prefeito Paulo Ramos e do ex-secretário de obras, Andrade Henrique, que dizem as boas e más línguas, estão com um pé no PV. (Ufa! Por engano grafei PT, já pensaram se passa pela revisão?) O fato é que instantes depois da publicação recebi um e-mail da Assessoria de Comunicações da Prefeitura dando conta da ação da Justiça contra eles. (Leia matéria postada abaixo) Eu bem que poderia ter usado esse dom premonitório para sonhar com os números que serão sorteados pela Caixa Econômica Federal. De qualquer forma a coisa ainda vai rolar por muito tempo, cabem recursos e, como sabemos, a justiça brasileira é lenta. “Tarda e de vez em quando falha!”!

Sidney Borges

Notícias da Prefeitura

Justiça torna indisponíveis os bens de Paulo Ramos e Andrade Henrique dos Santos

Juíza determina suspensão dos efeitos de decreto do ex-prefeito Paulo Ramos que adquiriu frota sem licitação no valor de mais de um milhão de reais

A juíza substituta de Ubatuba, Dra. Cristina Alves Biagi Fabri encaminhou ofício ao Prefeito Eduardo César (PL) pedindo que tome as providências necessárias para suspender os efeitos do decreto municipal 3702 de abril de 2001,que autorizou a compra de vários carros e veículos pesados sem licitação. A juíza determinou ainda que os bens do ex-prefeito Paulo Ramos e do então secretário de Obras municipal Andrade Henrique dos Santos sejam indisponibilizados para garantir a integral reparação dos prejuízos que causaram aos cofres públicos.

A ação civil pública foi ajuizada pelo Ministério Público em agosto do ano passado por entender que houve improbidade administrativa na aquisição de frota municipal sem licitação. Foram gastos, na época, R$329.294,38 para adquirir veículos leves e R$ 861.864,00 para a compra dos veículos pesados, num total de R$ 1.191.158,03. Além da suspensão dos efeitos do decreto e da indisponibilização dos bens dos réus, o Ministério Público pede ainda ressarcimento integral dos valores gastos na aquisição dos veículos, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa civil e proibição de contratar com o Poder Público.

Caso Passat

Ainda dentro dessa compra sem licitação, na época justificada por se tratar de uma padronização da frota, estava o Passat importado utilizado pelo prefeito e que custou aos cofres públicos R$126.000,00. Esse valor não está incluído na soma de R$ 1,2 milhão porque o caso Passat é objeto de uma outra ação, na época, movida pelo então vereador e agora prefeito de Ubatuba, Eduardo César. A aquisição do Passat, que inclusive teve perda total numa acidente em agosto do ano passado, foi a causa do afastamento de cerca de 15 dias do prefeito Paulo Ramos no início de 2002.

O prefeito Eduardo César, ao tomar conhecimento da decisão judicial, que ainda é provisória, decidiu ingressar na ação, como assistente, conforme lhe faculta o artigo 5º, parágrafo 2º da Lei 7347/85. Essa medida judicial, segundo o Secretário de Assuntos Jurídicos da Prefeitura, Anderson de Souza, visa reforçar a decisão da Justiça de Ubatuba e garantir a devolução desse montante aos cofres públicos municipais. PMU

Sucatão

Muitas besteiras circulam pela mídia, algumas de doer. Outro dia um colunista do “Observatório da Imprensa” escreveu sobre a falta de credibilidade dos blogs. Fiquei pensando “avec my buttons”, onde eu poderia ler notícias dignas de credibilidade. Talvez nos cadernos de economia que endossam a falácia do crescimento apesar dos juros – os maiores do mundo. Mudando um pouco de assunto, economia é entediante, cansei de ler alusões pouco lisonjeiras ao Boeing 707 que servia à presidência e foi batizado de “sucatão”. Nada mais injusto. Mas como o mundo é pleno de injustiças, a coisa poderia prosseguir sem que eu ficasse realmente bravo, o que aconteceu quando li que o “sucatão” é um avião inseguro. O que será que o escriba quis dizer com isso? Poderia a insegurança do “sucatão” ser curada pelo psicanalista do jornalista em questão, que seguro de si escreve sobre o que não conhece? Não existe avião inseguro, como não existe avião velho. É difícil explicar isso, por mais que eu tente encontro sempre alguém fazendo han, han e virando as costas para continuar dizendo besteiras. Querem um exemplo, dos mais de dez mil DC-3 fabricados, ainda há por volta de quatrocentos em operação. Foram fabricados nos anos trinta e quarenta! São ultrapassados tecnologicamente, dispendiosos, de manutenção cara, porém desde que mantidos de forma correta, voam perfeitamente. O “sucatão” tem um problema sério, referente à poluição sonora, seus motores são barulhentos, há muitos aeroportos onde ele não pode ir. Seria possível fazer modificações, mas o custo não compensaria. Para ser usado como cargueiro ele está perfeito, vai continuar prestando serviços por muito tempo.

Sidney Borges

Ex-prefeito assume sua verdadeira vocação!

sidney borges

Paulo Ramos acenando para as massas

Segundo fontes ligadas ao PV, o ex-prefeito Paulo Ramos de Oliveira está na iminência de tornar-se membro do partido. Também foi apurado pela reportagem do UV que o candidato a vice-prefeito pela coligação Viva Ubatuba, Andrade Henrique seguirá seus passos. Na verdade, sempre houve claros indícios da vocação ambientalista de Paulo Ramos, um batalhador pela causa do mico-leão dourado. Em breve veremos o carro do ex-prefeito ostentando adesivo do Greenpeace.

Sidney Borges

Comunicado da ADUBA

No ultimo dia 17 de janeiro em São Sebastião, reunidos na sede da associação dos portadores de deficiências daquela cidade, onde compareceram representantes das quatro cidades do litoral norte, para a constituição da nova Coordenadoria da Federação das Pessoas Portadoras de Deficiências do Litoral Norte.
Foi eleita a nova Coordenadoria Geral com mandato de 3 anos a contar daquela data com a seguinte constituição:

Coordenação Geral – André Luiz dos Santos da cidade de Ubatuba;
Tesoureiro – Alden Mello de Aguiar da cidade de São Sebastião;
Secretaria – Neusa Barbosa da cidade de Ubatuba;
Diretor de Patrimônio – Mônico Santos Silva da cidade de São Sebastião;
Delegado – Ricardo Souza Moreira dos Santos de Ilha Bela;
Delegado – Kazuo Matsuoka, de Ubatuba;
Delegado – Aurenice Zacarias de Oliveira de Caraguatatuba;
Delegado – Ana Paula Chaibe de Ilha Bela.

A FEDERAÇÃO é a união das quatro entidades de Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilha Bela, onde embora vivam em momentos diferentes, elas tem na união de objetivos, a força para melhorar todo o Litoral em problemas que se repetem pelas 4 cidades.
O Ex Coordenador Geral, Alden Mello fez um grande trabalho de integração junto ás cidades e André Luiz dos Santos assume a Coordenadoria Geral com o intuito de se promover trabalhos na defesa de direitos da Pessoa Portadora de Deficiências que infelizmente ainda não são respeitados.

As Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências, são nitidamente desrespeitadas em comemoração do dia internacional da Pessoa Portadora de Deficiências o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Publicou o DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004, em defesa destes cidadãos por todo o País.

Imediatamente a FEDERAÇÃO lutará por pontos fixados e urgentes como a mudança na forma de expedição da carteira de Passe Livre Inter Estadual, emitida pela Empresa Litorânea, esta somente oferece o passe aos que requisitam após exames médicos, estes realizados em Taubaté, dificultando muito a vida de todos Portadores de Deficiência do Litoral, principalmente de São Sebastião, Ilha Bela e Caraguatatuba, cidades que não possuem linhas para Taubaté.

Em Ubatuba a questão do Passe Livre Municipal esta resolvida, hoje os associados a ADUBA – Associação dos Deficientes de Ubatuba, tem livre acesso ao transporte, eles procuram a entidade, esta que emite tal carteirinha e também fiscaliza o fato do requerente ter ou não direito ao benefício, a harmonia é tão perfeita que a própria Empresa é colaboradora da Entidade por reconhecer o trabalho serio feito.

Mas nas demais cidades o transporte municipal é considerado pela FEDERAÇÃO um caos, tanto a Empresa Concessionária de Caraguatatuba como de São Sebastião, deverão sofrer processos judiciais para obrigar a regularização do atendimento, em São Sebastião não estão expedindo carteirinhas e Caraguatatuba são distribuídos 15 passes mensais, não atendendo as necessidades dos usuários.

Na questão de adequações o Decreto Federal, nomeia as Entidades devidamente constituídas como detentoras do direito de fiscalização, assim será feito, serão emitidos talonários de vistorias e as Empresas, que não possuírem adequações correspondentes ao ramo de atividade, terão o pedido de suspensão de seus respectivos ALVARÁS de FUNCIONAMENTO, junto a cada Prefeitura e na omissão destes órgãos, a Promotoria para Assuntos das Pessoas Portadoras de Deficiências serão acionadas.

A FEDERÃÇÃO também visa arrecadar fundos para a manutenção das Entidades Federadas, procuraremos contratos a nível regional de parcerias, lutas junto ao Governo do Estado para melhorias no trato com o Litoral Norte, levantamento da situação regional da questão de inclusão e pedidos ao Governo Federal que reveja o repasse de verbas para a Educação de cada Município, pois é clara a situação de que o Portador de Deficiências esta fora da rede escolar.

Até 2004 a FEDERAÇÃO esteve localizada junto a Associação de São Sebastião, mas deve ter sede própria, fora escolhida a cidade de Caraguatatuba, esta pela questão regional e também levar o apoio a associação daquela cidade que esta com mais dificuldades de estruturação.

André Luiz dos Santos, novo Coordenador Geral do Litoral Norte esta disponibilizando os telefones 12 3833 4466, 12 3833 0519 e o e-mail como também Messenger
aaduba@hotmail.com para contatos, em breve teremos a inauguração de um portal do Litoral Norte, que acolhera sites das entidades Federadas.

André Luiz dos Santos é Portador de Deficiência, anda com apoio de muletas e aparelhos ortopédicos nas pernas, hoje é casado e pai de 4 filhos, demonstra em seu currículo, que não há nenhuma limitação, aos 16 anos pediu emancipação de seus pais onde montou a André Promoções Artísticas, empresa que promoveu grandes eventos a nível Estadual, aos 19 anos foi eleito vereador em Ubatuba, e com 22 anos eleito Presidente da Câmara, também na juventude foi Campeão Brasileiro de Natação em revezamento 4X100 pela AACD de São Paulo, em Julho de 2002 era o vice-presidente da ADUBA, esta que reunia se em sala emprestada por moradores e associados, após assumir a presidência, locou imóvel para a sede, ampliou o numero de associados de 49 para 1032, atualmente a Entidade possui uma Sede a Praça BIP para atendimento ao publico, e um anexo a rua Manoel da Cruz Barbosa 332 para trabalhos administrativos, cursos, atividades e alojamento. Possui também 80 alunos de Informática, 12 de Braille (educação para deficientes visuais), Alfabetização Solidária, Fisioterapia, Jurídico, Natação em parceria com a PMU, e realiza grandes eventos.

A Federação das Pessoas Portadoras de Deficiências do Litoral Norte espera em 10 anos, atingir 80% de todos os logradouros, estabelecimentos de atendimento e melhoria de vida, assim como ver a Pessoa Portadora de Deficiências não mais aposentada por invalidez e sim trabalhando para a melhoria de nossa Região e País.
Comunicação social da federação.

A caminho...

Ronaldo Dias
...Cheguei da Fortaleza na Br 101. Rodovia INTERESTADUAL. Logo no trevo, crianças, muitas crianças e outros tantos adultos, de mãos dadas, com cadeiras de praia, guarda-sóis, esteiras, isopores pesados, bóias de braço e barracas de armar, esperam, impacientes saltitantes no asfalto quente que a fila interminável, de insensíveis veículos em trânsito, nas duas direções, ceda uma pequena e proveitosa oportunidade de travessia. Deixo esta cena para trás para logo em seguida avistar, sob a ponte do Rio Escuro, dezenas de desavisados banhistas, banhando-se nas águas tranqüilas daquela barra. Mal sabem, que aquelas águas de aparência tão transparente, mascaram esgotos domésticos, in natura, de todo o bairro do Rio Escuro. Não seria, uma boa prática sanitária, uma placa de aviso? Percebendo o piscar insistente e, mal educado, do farol que vem atrás, pedindo passagem, vou para a faixa da direita. Muito bom ficou esta faixa dupla para quem sobe em direção ao Lázaro. Êpa! Pedestres e ciclistas na rodovia? Não é proibido? Está no código! Preciso frear. Mais um perigo! Uma fila de veículos, estacionados (dos dois lados da pista) aguardam seus confusos ocupantes encherem garrafões e garrafões na bica. Aquela água é potável? Não seria, uma outra boa prática sanitária, uma outra placa de aviso? Que bobagem e implicância a minha. Como reclamar de pedestres e ciclistas na rodovia se, nem mesmo a recente "reforma" com tantos engenheiros e, empreiteiras irresponsáveis previram? E os riscos de acidentes, para os enchedores de garrafões? Outro pensamento bobo. Imaginem! Quais alternativas teriam? Aposto, que a melhor que conseguiram foi que os pedestres e ciclistas, dessem a volta, pelo acesso alternativo, indo, primeiro até a cidade e, de lá, voltassem para o Lázaro. É. Acho que foi assim que os "reformadores" e empreiteiras da reforma da estrada pensaram. Pensaram? Claro que não! Pois o grave e, irresponsável defeito, de não ter local apropriado para ciclistas e pedestres repete-se da Enseada para as Toninhas, e, dela para a Praia Grande. Bobagem! Já, já nos acostumamos e esquecemos de todos os gravíssimos defeitos desta reforma (recapeamento) de um "traçado" muito idoso (30 anos) (muito ultrapassado) e, que não atenderá a demanda do tráfego no curtíssimo prazo. Não demoramos, quase nada, a nos acostumar com os "bodes" dentro de casa. Agora, o governador anunciou, outras "melhoras" para o acesso às praias. Chegou a vez da Osvaldo Cruz receber seu quinhão de "melhoras". Melhoras, mesmo as apenas maquiadas, são alardeadas, pela propaganda chapa branca, como facilidades para vir à praia. Chegando aqui, a infraestrutura necessária para receber esta grande demanda... Bem, ai, será problema nosso. Afinal, não estamos querendo muita gente? Agora, vou parar por aqui, pois um policial rodoviário, logo ali na frente, pode perceber minhas divagações ao volante e, me aplicar uma multa, por cada pensamento.

Qualquer semelhança é mera coincidência!

Fiscais apreendem produtos enterrados por ambulantes em praias do Rio

Não são apenas banhistas que têm aproveitado as areias das praias do Leblon e de Ipanema, na zona sul do Rio. Ultimamente, comerciantes ambulantes que atuam na região - a mais procurada por turistas - costumam enterrar barracas, cadeiras, isopores, utensílios de cozinha e até alimentos que serão usados no dia seguinte para evitar o vai-e-vem diário.Com a ajuda de uma escavadeira para remexer a areia, somente entre as 23h de ontem e a 1h desta terça-feira foi apreendida mais de uma tonelada de produtos. Cinco carros que eram usados como depósitos ilegais também foram apreendidos.Segundo o subprefeito da região, Mario Filippo Junior, durante a operação, moradores de diversos edifícios ofereceram suas garagens para que os infratores guardassem os objetos. A prefeitura irá notificar os condomínios oficialmente sobre a irregularidade.Inicialmente, os fiscais pretendiam apreender dez carros que haviam sido previamente identificados. Entretanto, por volta da 1h, na altura do posto 9, um homem resistiu à apreensão de seu carro, causando tumulto. O caso foi registrado como desacato, na 14ª delegacia da cidade.Para o subprefeito, realizar as apreensões durante a madrugada evita tumultos, já que o problema envolve "uma questão social, que é o desemprego". "As pessoas ainda não estão convencidas de que a lei foi feita para ser cumprida e que, às vezes, para isso, é preciso rigor", diz.
Fonte: Folha Online

Notícias da Prefeitura

Vigilância Sanitária interdita creche em Ubatuba, por insalubridade do prédio

A vigilância sanitária de Ubatuba interditou na tarde de ontem, 25, a Emei (Escola Municipal de Ensino Infantil) do Centro, situada na Rua Paraná, 347. Essa medida foi tomada ao ser constatado que o prédio não tinha condições para abrigar as 128 crianças de seis meses a três anos matriculadas na creche.
Cerca de 50 crianças que continuavam na creche durante o período de férias foram transferidas em caráter emergencial para a Emei da Rua Gastão Madeira. Enquanto isso, algumas alternativas estão sendo estudadas pela Secretaria de Educação para o ano letivo que se inicia no próximo dia 10 de fevereiro.
Foram encontradas diversas irregularidades no prédio. Dentre elas, a mais séria é a precariedade do telhado, que corre risco de desabamento. Além disso, os vazamentos permitem que as águas da chuva escorram pelas paredes, inundando o chão e deixando o ar impregnado com um forte odor de umidade. A diarista Rosilene Alves da Silva conta que a sua neta, matriculada na Emei Centro no ano passado, tem sofrido freqüentemente de doenças respiratórias desde então. “Eu não conhecia as condições da sala onde a menina ficava. Estou arrependida de ter deixado minha neta nesse lugar. Agora estou aliviada porque a creche foi interditada e a minha neta está numa creche melhor”.
Além do risco de desabamento, o prédio não foi projetado para abrigar uma escola e isso gerou uma série de problemas. Um deles, foi a abertura de diversos buracos em algumas paredes, rentes ao chão para que a água utilizada na limpeza escoasse para fora das salas. Essa solução fez com que roedores e diversos insetos tivessem livre acesso às dependências da creche.

A ação

A precariedade deste e de outros prédios foi descoberta durante uma vistoria promovida pela nova equipe da Secretaria de Educação em todas as escolas da rede pública e particular no município. A coordenadora de creches e Emei’s de Ubatuba, Patrícia Gomes Veloso Pereira, disse que, “ao ver a Emei do Centro nas condições em que se encontra, a única solução foi chamar a vigilância sanitária e pedir a interdição”.
O Chefe de Saúde Coletiva de Ubatuba, Antônio Jorge de Araújo explica que a interdição cautelar foi feita visando o bem-estar e integridade física das crianças. “A umidade e o mal estado de conservação do prédio oferecem diversos riscos à saúde das crianças. Entre eles, as doenças respiratórias são as mais freqüentes”.
A situação nas outras escolas da rede municipal de ensino que já passaram por vistoria não é muito diferente do caso da Emei do Centro, mas, segundo Araújo, esse caso é o pior. A secretária de Educação, Isabel Roseli de Souza Leite diz que esses resultados são uma surpresa, diante da verba destinada à educação no ano passado. “Causou-nos espanto encontrar as escolas nesse estado de abandono. A prestação de contas da Secretaria da Educação publicada nos jornais não condiz com a realidade que encontramos”. PMU


Ubatuba se mobiliza no combate ao mosquito da dengue

Cidade não registrou nenhum caso em 2004 e pretende repetir o feito em 2005

A cidade de Ubatuba não apresentou casos autócnes de dengue em 2004 e a Secretaria Municipal de Saúde pretende manter o mosquito Aedes aegypti fora de circulação. Para isso montou uma mega-operação chamada Ubatuba Sim, Dengue Não! que será realizada neste sábado, dia 29, em duas regiões do município. Para facilitar o trabalho dos agentes de saúde, uma frente vai agir bairro do Perequê-Açu ao Aeroporto, enquanto outro grupo agirá do Aeroporto ao Parque dos Ministérios. Além dos funcionários da Saúde, participarão da operação todo o efetivo das secretarias de Obras, Meio Ambiente, Educação, Turismo e Organizações não Governamentais que atuam em Ubatuba.
O objetivo da operação é atingir cerca de vinte mil residências. Os agentes visitarão as residências visando eliminar os criadouros internos, como: vasos, pratos de xaxim, enfeites e todo tipo de situação que possa acumular água limpa, bem como orientar os moradores para a limpeza de calhas, lajes, caixas d'água e ainda remover entulhos em terrenos baldios, entre outras ações. Haverá farta distribuição de material educativo para moradores e turistas, com o propósito de evitar a chegada da dengue a Ubatuba.

O que é dengue – A dengue é uma doença causada por um vírus, o vírus do dengue, transmitida de uma pessoa doente para uma pessoa sadia por meio de um mosquito, o Aedes aegypti. A doença pode se manifestar de duas formas:

Dengue clássico – A dengue se inicia de maneira súbita com febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores nas costas. Às vezes aparecem exantemas (manchas vermelhas no corpo). A febre dura cerca de cinco dias com melhora progressiva dos sintomas em 10 dias. Em alguns poucos pacientes podem ocorrer hemorragias discretas na boca, na urina ou no nariz. Raramente há complicações.

Dengue hemorrágico - Dengue hemorrágico é uma forma grave de dengue, quando se tem a doença uma segunda vez. No início os sintomas são iguais ao dengue clássico, mas após o 5º dia da doença alguns pacientes começam a apresentar sangramento e choque. Os sangramentos ocorrem em vários órgãos. Alguns doentes apresentam choque circulatório. Este tipo de dengue pode levar a pessoa à morte. Dengue hemorrágico necessita sempre de avaliação médica de modo que uma unidade de saúde deve sempre ser procurada pelo paciente. O médico irá avaliar a condição do doente e indicar o tratamento correto.

Tratamento - Não existe tratamento específico para dengue, apenas tratamentos que aliviam os sintomas. Mas cuidado: não devem ser usados remédios a base de ácido acetil salicílico, como, por exemplo, a aspirina e o AAS. Nos casos de dengue hemorrágico o tratamento realizado é de suporte, no sentido de evitar o choque. Não existem vacinas contra a dengue de tal forma que a prevenção é a única arma contra a doença. Toda pessoa que apresentar sintomas da doença deve procurar um posto de saúde para obter orientação médica. A solução é a prevenção. Por isso a cidade conta com a participação de todos. Ubatuba Sim, Dengue Não! PMU

terça-feira, janeiro 25, 2005

Plunct, Plact, Zum

Raulzito tinha balanço, apesar de achar “Ouro de tolo”, que estourou nas paradas, muito chata, descobri na casa de um amigo o LP “20 anos de Rock”, interessantíssimo. Outro amigo, americano e roqueiro, jurou de pé junto que quem estava cantando Bernardine era Del Shannon. Apostou e perdeu. Era Raulzito, ou melhor Raul Seixas, que também compôs a música que dá título ao artigo. Quem não conhece o “Carimbador Maluco”, a bem-humorada e cheia de balanço alusão à burocracia de Pindorama, fonte de todos os males e de todos os prazeres que por aqui convivem. Na época do Plunct, Plact, Zum a VASP havia comprado dois Airbus, aviões europeus que começavam a entrar ao mercado e produzir coceira na hegemônica Boeing, quase absoluta quando o assunto era aviação comercial. O governador de então, Dr. Paulo Salim Maluf teve uma atuação bastante discutível em relação à VASP, reduziu salários, criou insatisfação, endividou a empresa e comprou os Airbus, sem dúvida uma compra das mais estranhas. Na época, havia uma clara distinção entre os novíssimos Airbus e Boeing 767 em relação aos jatos que operavam desde os anos 50. Os “novos” eram mais largos, maiores, mais econômicos, mais imponentes, perto deles os “velhos” pareciam lápis voadores, tão estreita era a sua fuselagem. Acontece que os Airbus que a Vasp adquiriu tinham sido projetados para operar na Europa, na época da Guerra-Fria muito menor do que hoje. Tinham pouca autonomia, isto é não faziam um vôo direto para Manaus desde São Paulo. Era preciso uma escala intermediária. O povo que não é bobo, logo encontrou um apelido para os gigantescos aviões que davam apenas pulinhos. “Plunct, Plact, Zum, não vai a lugar nenhum”... Até hoje os Airbus da VASP estão operando, logo pararão de vez, aliás logo a VASP deixará de voar definitivamente, pondo fim ao projeto do “reich de mil anos” do ex-presidente Collor, que queria ser dono da rede Globo, da Varig e sabe-se lá do que mais. Deu-se mal, como é de conhecimento geral: “quem tudo quer nada tem”.

Sidney Borges

Por todos os filhos!

Ronaldo Dias
Hoje, quando saí de casa a caminho da cidade me propus observador. Logo após o portão, a figura da péssima conservação dos 700 metros seguintes de leito de terra reafirma meu inconformismo com a falta de espírito comunitário dos meus vizinhos, com o nosso acesso. Não há absolutamente nenhuma colaboração. Todos esperam por alguém que faça. Não há mesmo sinais de educação e civilidade com os espaços de uso público e comum. Lixeiras fedorentas e transbordando, com o xorume escorrendo para o riacho mais próximo, a caminho da praia, sinalizam que o lixeiro não pareceu ou, os carros estacionados ao longo e no meio da estrada, impediram sua passagem. Ele retornou. Azar. Muros que invadem e estreitam o leito carroçável (sem interferência do poder público) reafirmam e validam todos os meus mais sinceros e peçonhentos sentimentos, com estes meus vizinhos “moradores acidentais”. A partir do asfalto pouco muda. Carros estacionados dos dois lados impedem e atrapalham o trânsito. As placas de proibido estacionar foram retiradas pelos afoitos tomadores de “conta” de veículos, que faturam alto, em prejuízo dos usuários e longe, mas muito longe, de qualquer ação coercitiva da Guarda Municipal. Com o tempo a estrada que é também municipal, será requerida e, deferida, como área de estacionamento do sindicato dos Tomadores de “Conta” da Fortaleza. Tudo mais e todos os demais, pouco importa. Imagino que, não andei um quilômetro ainda e, teria, além destas, dezenas de observações a fazer. E olhem que não citei a praia. Não sei se tenho facilidade para ver e enxergar ou se, teimoso, insisto em apontar e reclamar, na esperança de um dia tudo mudar. Boa rima. Este texto até aqui, foi, na verdade, apenas um pretexto, para sensibilizar as inúmeras pessoas, importantíssimas que, ainda anônimas, muito poderiam colaborar na construção do nosso futuro. É uma pena, e lamentável, que tanta gente boa, que vive aqui em Ubatuba, cheia de competência, nos mais diferentes ramos do conhecimento humano, não se proponha, ao menos, em externar seus pontos de vista, apontar erros e sugerir soluções. Simples! Seria muito bom poder contar com estas valiosas colaborações. Esta minha afirmação pode ser entendida como um convite. Aceitem! Sejam bem vindos! Participem da vida comunitária da cidade. Será bom para todos vocês e, para todos nós. Façam isso, por seus filhos. Façam, por todos os outros filhos.

Empréstimo de terra em Ubatuba

Luiz Moura
Há muito venho falando da necessidade da administração municipal tomar a iniciativa para solucionar o problema do uso indiscriminado do empréstimo de terra. Vias públicas sem pavimentação e lotes urbanos não edificados são os principais destinos do material retirado das áreas empregadas para empréstimo.
Para que realmente possamos proteger a Mata Atlântica em nossa região, não podemos pura e simplesmente, proibir a retirada de terra. Temos que fazer um plano que possibilite a demanda do mercado, dentro de técnicas que minimizem os problemas causados pelo impacto ambiental e uma fiscalização (amparada em uma legislação) severa, que impeça a retirada de terra em outros locais a não ser nos determinados para tal.
Atualmente, áreas são utilizadas sem o devido projeto de manejo (raras são as exceções) ocasionando uma série de problemas para a administração tais como: desbarrancamento, assoreamento e poluição das águas, sem contar naturalmente com a agressão imposta a Mata Atlântica, de forma irregular e desordenada.
Como ponto de partida sugiro que sejam escolhidas (em conjunto com a comunidade, entidades de defesa do meio ambiente e órgãos governamentais pertinentes), pelo menos, 6 (seis) áreas ao longo do município. As áreas seriam desapropriadas pelo poder público e nelas (com a parceria, inclusive de investimentos, das empresas extratoras) seriam feitos os projetos de retirada de terra e de utilização futura da área (escola, posto de saúde, ponto de atração turística, área para prática de esportes etc.).
Para que haja uma fiscalização positiva, não só no cumprimento dos projetos, como também na preservação de toda a Mata Atlântica, em Ubatuba, sugiro ainda que se de a atribuição de polícia ambiental também para a Guarda Municipal de Ubatuba.
Áreas estão sendo danificadas enquanto se fala da necessidade de se encontrar uma solução para o problema e nada é feito. Vamos acabar como o "isto não vai dar certo", arregaçar as mangas e trabalhar em prol do município.

Nota do Editor: Luiz Roberto de Moura é engenheiro civil e consultor de informática. Iniciou no jornalismo em 1970 como colaborador da Folha da Baixada. Na administração pública, em Ubatuba, dirigiu várias secretarias municipais. É o responsável pelo UbaWeb - O Portal de Ubatuba.

 
Free counter and web stats